Coreia do Norte celebra 61 anos de fundação criticando os EUA

SEUL - A Coreia do Norte celebra nesta quarta-feira o 61º aniversário de sua fundação com críticas aos Estados Unidos devido às sanções internacionais sofridas por causa dos recentes testes nucleares.

Redação com agências internacionais |

Neste ano, as ruas de Pyongyang não receberam o pomposo desfile militar de 2008, por ocasião das comemorações das seis décadas da nação, informou o Ministério da Unificação sul-coreano.

A ausência do líder norte-coreano, Kim Jong-il, no aniversário do ano passado aumentou os rumores sobre seu estado de saúde, que um mês antes dos festejos sofreu um derrame cerebral, de acordo com os serviços secretos sul-coreanos.

Na celebração de hoje, foram realizados atos públicos e as coreografias do festival de Arirang - canção folclórica coreana que expressa a melancolia de dois apaixonados, vítimas da distância -, mais uma vez sem a participação de Kim Jong-il.

Responsáveis do partido, militares e os cidadãos colocaram oferendas na estátua do fundador do país, Kim Il-sung, pai do atual líder.


Norte-coreanos colocam oferendas na estátua de Kim Il-sung / AP

Kim Jong-il assistiu a um evento cultural com músicos russos e locais em Pyongyang e expressou seu "profundo agradecimento" pelo ato, informou a agência estatal norte-coreana "KCNA" no começo da manhã, o que indica que a aparição pública aconteceu na terça-feira.

Os jornais norte-coreanos lembraram que a Coreia do Norte defenderá os princípios de independência e fará todos os esforços para reforçar a solidariedade com as pessoas de todo o mundo em direção à paz.

Em um editorial do jornal governista da Coreia do Norte "Rodong Sinmun", Pyongyang acusou os EUA "de aumentar seu fanatismo, encaminhando a uma nova guerra para asfixiar nossa república com a força militar".

Além disso, a Coreia do Norte disse que seguirá com sua política de supremacia militar como lema do país, que pretende chegar a 2012 como uma nação próspera, coincidindo com o centenário do nascimento do fundador, Kim Il-sung.

O presidente da China, Hu Jintao, e o russo, Dmitri Medvedev, enviaram mensagens de felicitações a Kim Jong-il, disseram as mesmas fontes.


Norte-coreanos comemoram a data com danças típicas / AP

História

A República Popular Democrática da Coreia foi proclamada em 1948 por Kim Il-sung, ex-líder guerrilheiro contra a ocupação japonesa e fundador do país comunista.

Após a morte do fundador, em 1994, seu filho Kim Jong-il herdou o poder da Coreia do Norte, o país mais fechado do planeta.

As celebrações do aniversário ocorrem num momento crítico para a Coreia do Norte, que vive sob as sanções impostas pelo Conselho de Segurança da ONU por causa do lançamento de um foguete de longo alcance em abril e de vários mísseis, pouco após realizar seu segundo teste nuclear, em maio.

* Com EFE

Leia mais sobre Coreia do Norte

    Leia tudo sobre: coréia do norte

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG