VIENA - A Coreia do Norte barrou na quinta-feira o acesso de monitores da Organização das Nações Unidas a todas as partes do complexo atômico de Yongbyon, em mais uma medida que reverte o acordo, feito em 2007, para encerrar seu programa nuclear, disseram diplomatas.

Acordo Ortográfico

"Os monitores ouviram que, a partir de hoje, eles estão fora, seu acesso a qualquer instalação de Yongbyon não é permitido, disse um importante diplomata próximo à Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA), ligada à ONU.

Diplomatas disseram que o órgão da ONU, cuja sede fica em Viena, deve fazer um anúncio formal ainda na quinta-feira.

A Coreia do Norte expulsou a equipe de inspetores da usina produtora de plutônio, centro das instalações capazes de produzir uma bomba nuclear, há duas semanas e prometeu reativar a usina dentro de alguns dias.

Mas, na época, Pyongyang permitiu que os monitores continuassem observando outras partes de Yongbyon.

O pacto de desarmamento da Coreia do Norte foi feito pelo país com cinco potências regionais, mas desandou no mês passado, depois que Pyongyang prometeu reconstruir Yongbyon por não ter sido retirada da lista norte-americana de países patrocinadores do terrorismo.

Washington disse que tiraria a Coreia do Norte da lista, além de conceder ao país benefícios econômicos e diplomáticos, assim que pudesse verificar a veracidade da interrupção de seu programa nuclear.

Leia mais sobre Coreia do Norte

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.