Seul - A Coreia do Norte ameaçou hoje realizar um novo teste nuclear e lançar um míssil de alcance intercontinental, segundo o Ministério de Exteriores norte-coreano, citado pela agência estatal KCNA.

Mais cedo, o país reafirmou seu compromisso de abandonar as negociações de seis lados e de seguir adiante com seu rearmamento nuclear, um processo já reatado por Pyongyang, apesar das sanções do Conselho de Segurança da ONU.

"Reiteramos que nosso país não participará mais do diálogo de seis lados e intensificará seu poder dissuasório nuclear em todos os sentidos", informou hoje o diário "Rodong Sinmun", publicado pelo Partido dos Trabalhadores da Coreia do Norte, citado pela agência sul-coreana "Yonhap".

A Coreia do Norte participava da negociação de seis lados, aberta em 2003 a fim de alcançar a desnuclearização do regime comunista, junto com Coreia do Sul, Estados Unidos, Japão, China e Rússia, mas este processo está estagnado desde dezembro.

No último sábado, o regime comunista da Coreia do Norte anunciou que havia reiniciado o processo para extrair plutônio em Yongbyon, sua principal usina nuclear.

O anúncio norte-coreano acontece um dia depois de um comitê do Conselho de Segurança da ONU decidir impor sanções a três empresas vinculadas com o aparato militar da Coreia do Norte por sua possível participação no lançamento do foguete em 5 de abril.

Na mensagem de hoje, Pyongyang assegura que "no mundo atual, injusto e instável, cujas leis internacionais, relações e ordens são manuseadas pelo poder, podemos defender nossa soberania e mostrar dignidade e coragem graças a nossa capacidade de dissuasão nuclear".

Leia mais sobre: Coreia do Norte

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.