Tamanho do texto

Delegados nas negociações para demantelar o programa nuclear da Coréia do Norte anunciaram que chegaram a um acordo sobre passos para confirmar o desarmamento nuclear do país. Pelo acordo, a Coréia do Norte deverá concluir a desativação de seu reator nuclear de Yongbyon até outubro.

Em seguida, uma equipe internacional será enviada para inspecionar o trabalho e entrevistará técnicos norte-coreanos.

O entendimento surgiu após três dias de conversações na capital chinesa, Pequim, entre representantes de China, Estados Unidos, Rússia, Japão e das Coréias do Norte e do Sul.

O correspondente da BBC, James Reynolds, disse que a autorização para a entrada de inspetores internacionais é um ponto importante para os Estados Unidos.

Segundo Reynolds, o presidente americano, George W. Bush, não confia o suficiente na Coréia do Norte para acreditar no que dizem as autoridades do país, e só ficará satisfeito com uma confirmação independente.

Os detalhes finais para o processo de inspeção ainda devem ser decididos, mas o emissário americano, Christopher Hill, disse que espera que isto ocorra em breve.

"Nós gostaríamos de ter um protocolo formulado dentro de 45 dias e (...) de começar a inspeção dentro de 45 dias", afirmou.

As negociações tiveram um intervalo de nove meses. Elas foram retomadas depois que as autoridades norte-coreanas entregaram detalhes de seu processo de produção de plutônio para as autoridades chinesas.

O diálogo havia sido interrompido depois que a Coréia do Norte perdeu o prazo para entregar uma declaração nuclear. O documento, que deveria ter ficado pronto em dezembro de 2007, só foi entregue no mês passado.

Incentivos
A Coréia do Norte está desmantelando sua instalação nuclear de Yongbyon em troca de incentivos econômicos.

Mas o país também pede que se acelere o pagamento de compensação econômica, que inclui milhões de toneladas de combustível.

A Coréia do Norte concordou em abrir mão de suas ambições nucleares no ano passado. Em troca, os cinco países envolvidos nas discussões concordaram em fornecer combustíveis e fazer concessões diplomáticas ao país.

Em junho, a Coréia do Norte implodiu uma torre de resfriamento do reator de Yongbyon. A medida foi considerada simbólica, já que o reator já estava desativado.

O governo americano revogou algumas sanções que havia imposto ao regime. O país também deu início a medidas para retirar a Coréia do Norte da lista de Estados que financiam terrorismo.

Na semana passada, a Coréia do Norte disse que não daria mais nenhum passo em direção ao desarmamento nuclear até que os demais países fornecessem parte da ajuda prometida.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.