Córdoba pedirá ajuda aos EUA para avançar em processo de paz

Washington, 22 mai (EFE).- A senadora opositora colombiana Piedad Córdoba disse hoje que pedirá ao Departamento de Justiça dos Estados Unidos para que administre um acordo de cooperação judicial com a Colômbia com o objetivo de dar garantias aos paramilitares extraditados, a fim de que colaborem com o processo de paz.

EFE |

"Na próxima terça-feira, nos reuniremos com o Departamento de Justiça com o objetivo de organizar o necessário para que as confissões sigam adiante e o Estado colombiano e o norte-americano concedam garantias jurídicas e de segurança", afirmou a legisladora.

Córdoba se reuniu hoje em uma prisão de Washington com o ex-comandante das Autodefesas Unidas da Colômbia (AUC) Salvatore Mancuso, o qual reafirmou sua vontade de continuar cooperando com a Justiça colombiana dentro da chamada Lei de Justiça e Paz.

Em declarações a jornalistas, Córdoba disse que a vontade de cooperação de Mancuso sofreu com as ameaças contra seus familiares que residem na Colômbia e pela "negação da Justiça colombiana em garantir qualquer tipo de proteção".

"Não existem instrumentos jurídicos de nenhuma classe, nem uma estrutura que permita que os bens dos paramilitares sejam destinados ao fundo das vítimas na Colômbia. A extradição impediu a continuação do processo de reparação", denunciou a senadora, que faz parte do opositor Partido Liberal.

A visita de Córdoba aos EUA, que deve durar até meados da semana que vem, ocorre depois de Mancuso ter pedido por meio de uma carta para dialogar com ela sobre sua situação e o processo de audiências para dar suas versões.

Córdoba disse que seu encontro com Mancuso é "um primeiro passo fundamental" para resolver o problema, e acrescentou que foi importante para avançar rumo a um cenário de reconciliação entre vítimas e paramilitares. EFE llb/bba

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG