Copenhague: membros do Greenpeace são presos ao tentar entrar em jantar oficial

A polícia prendeu nesta quinta-feira 28 militantes do Greenpeace que tentavam entrar no palácio de Christiansborg, onde um jantar era oferecido pela família real dinamarquesa aos mais de cem chefes de Estado e governo que participam da cúpula do clima em Copenhague.

AFP |

Três militantes foram presos já dentro do castelo, 19 deles estavam nos arredores e outros seis em uma ponte próxima que leva à ilha de Amager, indicou a polícia.

Dois membros do Greenpeace vestidos com trajes de gala conseguiram penetrar no vestíbulo no momento em que alguns convidados chegavam para o jantar, organizado pela rainha Margrethe II na véspera do encerramento da cúpula do clima da ONU.

Lá, os militantes exibiram diante dos fotógrafos e cinegrafistas cartazes com a inscrição: "Politicians talk- Leaders act" (políticos falam - líderes agem).

Os ecologistas entraram no palácio por volta das 20h15 (19h15 GMT) junto com os primeiros convidados, menos de uma hora antes do início do jantar, mas não chegaram a entrar na sala onde a comida seria servida.

Seu comboio, composto por três veículos, chegou pouco antes da secretária de Estado americana Hillary Clinton.

A polícia de Copenhague informou à AFP que está investigando como os militantes do Greenpeace conseguiram burlar os controles de segurança.

A organização ecologista também projetou mensagens em inglês, francês e alemão nos muros do palácio e do edifício onde ficam os escritórios do primeiro-ministro dinamarquês no centro da capital, segundo um comunicado do Greenpeace.

sa-ri/ap

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG