Ao menos 1.500 pessoas protestaram nesta sexta-feira, no frio glacial das ruas de Copenhague, para exigir a libertação de 19 militantes detidos em manifestações precedentes, constatou a AFP.

Portando faixas e bandeiras pretas, os manifestantes, a maioria jovens, gritavam: 'justiça climática já", "libertem os presos políticos", "vergonha, vergonha.

O protesto, convocado pela organização Climate Justice Action (CJA), foi acompanhado por centenas de policiais.

Segundo a CJA, 19 manifestantes, dinamarqueses e estrangeiros, ainda estão detidos em Copenhague por sua participação em protestos na cidade.

A brasileira Jara fez seu protesto posando do biquini, na traseira de uma caminhonete, como "símbolo vivo do aquecimento global".

Cabelos negros ao vento, Jara explicou que "ela estava precisando de um pouco de aquecimento" exposta a uma temperatura de 5 graus negativos.

Jeanine Bonaparte, uma americana de San Fransisco, explicou que está "revoltada com os líderes mundiais, que falharam absolutamente em salvar nosso planeta da catástrofe (climática) que se apresenta". "A realidade me deixa triste, parte meu coração".

sa/LR

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.