Conversas militares entre Coreias terminam sem avanços

Seul - As primeiras conversas militares em oito meses entre representantes das duas Coreias terminaram hoje sem progressos significativos, informou a agência sul-coreana Yonhap.

EFE |

"O encontro acabou, mas se progrediu pouco", disse um oficial citado pela agência local de notícias, que assinalou que os representantes militares estiveram reunidos por menos de duas horas.

Este foi o primeiro contato de alto nível entre as duas Coreias desde que o conservador Lee Myung-bak chegou à Presidência da Coréia do Sul, em fevereiro.

Os representantes militares dos dois países tinham começado suas negociações hoje na zona fronteiriça de Panmunjom com uma hora de atraso e divergências sobre a possibilidade de abrir a reunião à imprensa.

A Coreia do Norte exigiu que os meios de comunicação tivessem total acesso às conversas. Mas a Coreia do Sul protestou e acusou seu vizinho de tentar transformar a reunião em propaganda do regime comunista, segundo a "Yonhap".

"Temos a impressão de que (Pyongyang) está mais interessado em anunciar o que tem a dizer do que em encontrar uma maneira de solucionar os problemas", disse o coronel Lee Sang-cheol, representante de Seul nas conversas.

Já o representante norte-coreano, o coronel Pak Rim-su, disse que a delegação sul-coreana "não estava preparada para resolver os problemas".

"As conversas com o Sul foram a propagação de panfletos de propaganda", disse Pak, citado pela "Yonhap".

As últimas conversas militares entre Pyongyang e Seul aconteceram 25 de janeiro.

O regime comunista tinha proposto na semana passada a realização desses contatos de alto nível, mas Seul lhe pediu que o atrasasse para depois de 1º de outubro, por essa data coincidir com o aniversário da fundação das Forças Armadas.

    Leia tudo sobre: nuclear

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG