Gustav - Mundo - iG" /

Convenção republicana volta à política depois do furacão Gustav

Macarena Vidal St. Paul (EUA), 2 set (EFE).

EFE |

- A política volta hoje à convenção nacional do Partido Republicano com vários discursos e um pronunciamento via satélite do presidente dos Estados Unidos, George W. Bush, depois da mudança na programação decidida nesta segunda-feira em virtude da passagem do furacão "Gustav".

Rick Davis, diretor de campanha do candidato republicano à Casa Branca, John McCain, anunciou que, além dos discursos políticos habituais, o dia vai incluir alusões aos trabalhos de emergência levados a cabo por conta do fenômeno meteorológico, que ontem passou pela Louisiana, no sul dos EUA, causando menos estragos que o esperado.

Na segunda, em seu primeiro dia de convenção, os republicanos preferiram eliminar os discursos políticos, diante da incerteza sobre a destruição que o furacão poderia causar.

Devido a essas mudanças, a agenda para hoje sofreu alterações substanciais, e Bush, que deveria ter falado ontem, o fará nesta terça-feira, via satélite, direto de Washington.

No entanto, o presidente americano, de quem McCain tenta se distanciar desde o começo da campanha, não será o principal orador do dia.

Apesar de ter sido programado para o horário de maior audiência, o discurso de Bush será pequeno, de seis ou sete minutos, segundo cálculos dos organizadores. Além disso, não será o de encerramento das atividades da jornada, que é considerado o de maior peso.

Logo depois, quem falará aos republicanos, desta vez no palco montado para a convenção, será a mulher do governante, Laura, que passará o microfone a Fred Thompson, rival de McCain durante as primárias e que é conhecido do grande público por atuar na série "Law & Order".

De acordo com a programação divulgada, o próximo a discursar será o senador Joe Lieberman, grande amigo de McCain e que recentemente deixou o Partido Democrata para virar um político independente.

Quem acabou prejudicado pelas alterações de última hora foi o ex-prefeito Rudolph Giuliani, que faria um dos principais discursos da convenção, mas que acabou tendo sua participação adiada.

Segundo Davis, o objetivo hoje é tentar delinear o lado humano do candidato republicano perante o público.

Por exemplo, Lieberman, que só não foi convidado para ser vice na chapa de McCain por conta de seu passado democrata, definirá o candidato republicano como alguém capaz de trabalhar com representantes de ambos os partidos para conseguir o que lhe parece justo.

Um amigo da família McCain também discursará hoje para lembrar como o senador e sua mulher, Cindy, adotaram uma órfã de Bangladesh.

Os republicanos, como eles mesmos admitem, têm pressa. O furacão "Gustav" os fez perder um dia de convenção.

Como os partidos utilizam esses encontros para subirem nas pesquisas, é essencial para os republicanos recuperarem o tempo perdido e "venderem McCain como um homem independente, que coloca o país antes de tudo e que sabe colaborar com os democratas.

Mas contra essa estratégica acabou pesando o anúncio feito ontem pela vice na chapa de McCain, Sarah Palin. A governadora do Alasca revelou nesta segunda que sua filha Bristol, de 17 anos, está grávida de cinco meses, o que acabou ganhando mais espaço no noticiário que a própria convenção da legenda O diretor de campanha do candidato republicano explicou que a decisão de retomar a agenda política da convenção foi tomada hoje, nas últimas horas da madrugada, depois que ficou constatado que o "Gustav" não havia causado tanta destruição como se temia.

Porém, a programação para os próximos dois dias do evento ainda não foi definida. Em princípio, a jornada de quarta-feira terá discursos de McCain e Palin, além da aclamação de McCain como candidato à Presidência.

Na quinta-feira, quando a convenção termina, será a vez de o senador brilhar com seu discurso de aceitação da candidatura. EFE mv/sc

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG