WASHINGTON - O controlador aéreo responsável por um pequeno avião que bateu em um helicóptero sobre do rio Hudson, em Nova York, foi suspenso por ter supostamente violado os procedimentos, mas autoridades de aviação disseram não acreditar que ele tenha contribuído para o acidente com nove mortes.

O controlador de tráfego aéreo, que já havia repassado a responsabilidade pela aeronave a controladores de um aeroporto próximo, recebeu uma punição administrativa por fazer ligações telefônicas particulares no momento da colisão, informaram órgãos de segurança nos transportes dos EUA.

Funcionários da Administração Federal de Aviação e do Órgão Nacional de Segurança no Transporte, que estão comandando as investigações, disseram, no entanto, que não há razão para acreditar que o momento das ligações do controlador tenha qualquer ligação com a colisão. Mas disseram que a conduta é "inaceitável."

O supervisor do controlador também foi suspenso por não estar na torre de controle do aeroporto de Teterboro, em Nova Jersey, como deveria, disseram as autoridades. As suspensões serão mantidas até o resultado das investigação disciplinares em andamento.

Cinco turistas italianos em um helicóptero, dois passageiros de um pequeno avião e dois pilotos morreram no sábado quando as aeronaves bateram no ar sobre o rio que separa Nova York de Nova Jersey. Não houve sobreviventes.

O avião tinha acabado de decolar do aeroporto de Teterboro, Nova Jersey, sábado ao meio-dia, quando bateu contra o helicóptero, que acabara de sair para um sobrevoo de 12 minutos.

O Conselho Nacional para a Segurança no Transporte está investigando as causas do acidente, que deflagrou pedidos por maior controle sobre o tráfego aéreo sobre a região. Esses corredores aéreos são grandes rotas para aeronaves de pequeno porte.

Imagens do acidente

Veja no vídeo abaixo fotos do momento da colisão*.

* Canal da Fox News  no YouTube

Leia mais sobre acidente em Nova York

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.