Contra a crise, Lula convida premiê holandês a rezar por Obama

São Paulo, 2 mar (EFE).- O presidente do Brasil, Luiz Inácio Lula da Silva, convidou hoje o primeiro-ministro holandês, Jan Peter Balkenende, para rezar com ele para que o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, tome decisões sábias para sair da crise.

EFE |

"Se ele rezar lá, na outra parte do mundo, e eu rezar aqui, podemos ajudar o Obama a tomar as decisões sábias que o mundo precisa que ele tome, a que o Congresso americano compreenda a gravidade da crise e a que o povo compreenda que não é momento de fazer política", disse Lula ao líder holandês em São Paulo.

Lula já se referiu em algumas ocasiões anteriores a suas rezas para que Obama tire o mundo da crise, mas pela primeira vez convidou um dirigente estrangeiro, em visita oficial no Brasil, a que se una a suas preces, enquanto voltou a atacar o aumento do protecionismo.

"Se os americanos, Europa e Brasil se fecharem, a crise ganhará uma dimensão muito maior. Aí, em vez da solução, poderemos ter o caos", especificou, pedindo que se tome o caminho contrário, da abertura comercial e finalização da rodada de negociações de Doha da Organização Mundial do Comércio (OMC).

Quanto à próxima reunião do Grupo dos Vinte (G20) em Londres, em 2 de abril, Lula reiterou que a posição do Brasil será defender uma maior regulamentação do sistema financeiro internacional e por "definir o papel de quem irá controlá-lo".

Lula opinou que esta reunião será "uma oportunidade" para "repensar" a regulação das finanças internacionais e para "pensar um novo papel" para o Fundo Monetário Internacional (FMI) e os bancos centrais.

Balkenende coincidiu com o presidente brasileiro nas críticas às tendências protecionistas.

"Brasil e Holanda estão na mesma linha em relação ao encontro do G20. O protecionismo deve ser evitado a todo custo", manifestou.

Balkenende e Lula presidiram hoje um encontro de empresários de ambos os países na sede da Federação de Indústrias de São Paulo (Fiesp) e depois almoçaram juntos.

Amanhã, o premiê holandês visitará a sede da Embraer e se encontrará com o governador de São Paulo, José Serra.

No último dia de sua visita oficial, na quarta-feira, o dirigente holandês visitará a sede da Petrobras, e se encontrará com o governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral. EFE mp/jp

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG