Contatos Equador-Farc foram humanitários e a Colômbia sabia, diz Correa

O presidente do Equador, Rafael Correa, insistiu neste sábado que os contatos de seu governo com a guerrilha das Farc pretendiam facilitar uma ação humanitária e que ó este sábado en que los contactos de su gobierno con la guerrilla de las FARC pretendían facilitar una acción humanitária e que as autoridades colombianas estavam a par, em uma entrevista ao jornal espanhol El País.

AFP |

Correa explicou o encontro do ministro do Interior equatoriano, Gustavo Larrea, com o número dois das Farc, Raúl Reyes, dentro das gestões para libertar Enmanuel, o filho de Clara Rojas, refém da guerrilha liberada em janeiro.

Larrea avisou previamente o presidente colombiano, Alvaro Uribe, de que o Equador participaria em ações humanitárias, apesar de não ter prevenido do

encontro com Reyes, que se aconteceu num país neutro, segundo Correa.

Reyes foi posteriormente morto numa incursão militar colombiana em território equatoriano.

Correa, que assegurou que em sua vida jamais encontrou alguém das Farc, taxou de mentiras as informações encontradas no computador de Raúl Reyes nas quais ele e alguns de seus colaboradores são vinculados com a guerrilha.

esb/erl/cn

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG