Contaminações na China agora atingem iogurte e sorvete

HONG KONG - Hong Kong determinou nesta quinta-feira o recolhimento de produtos de uma empresa chinesa por causa da presença da substância melamina em 8 de 30 produtos analisados, como leite, sorvete e iogurte.

Redação com Reuters |

A avaliação da agência de segurança alimentar do território é a primeira verificação independente de que a contaminação de melamina, até então restrita ao leite em pó, ocorre em diversos tipos de laticínios.

O Grupo Industrial Yili é uma das 22 empresas chinesas envolvidas na contaminação do leite em pó, que já matou quatro crianças e provocou sintomas em mais de 6.000. A empresa foi uma das patrocinadoras da recente Olimpíada de Pequim.

'Estamos recolhendo os produtos da Yili, e o importador também está recolhendo todos os produtos da Yili, da marca Yili', disse Constance Chan, superintendente do Centro para a Segurança Alimentar de Hong Kong.

Segundo ela, entre os oito produtos rejeitados há leites, bebidas lácteas, iogurtes, sorvetes de massa e picolés.

O anúncio de Hong Kong (um território chinês com autonomia administrativa) deve constranger a China, que até agora só identificou a contaminação por melamina no leite em pó.

As autoridades de Hong Kong decidiram testar sistematicamente todos os demais laticínios produzidos na China continental, mesmo de outras marcas.

Sem entrar em detalhes, Chan disse que os produtos contaminados da Yili vieram de duas linhas de produção diferentes. Ela acrescentou que os resultados serão informados às autoridades chinesas.

Melamina, o aditivo que contaminou o leite em pó, é usado para fazer plástico e fertilizante, mas foi banido da produção de alimentos. No passado, era ilegalmente adicionado em produtos agrícolas como uma forma de aumentar os níveis de proteína.

Os produtores de leite inflam seus produtos adicionando água. Mas o leite diluído tem menos poder nutritivo, então a melamina, com alto teor de nitrogênio, é adicionada para restabelecer artificialmente os níveis de proteína animal exigidos. Os bebês que beberam a fórmula por um período mais longo, podem desenvolver pedras nos rins e a falência desses órgãos.


Tio de bebê contaminado exibe pacote do leite adulterado / AP

Suspeitos presos

Dois irmãos que possuem uma central leiteira na província de Hebei, norte da China, foram detidos na segunda-feira  por adulterar supostamente o leite que vendiam com melamina.

Segundo a Polícia, citada pela agência oficial "Xinhua", os irmãos, de sobrenome Geng, são os principais suspeitos de um escândalo que voltou a semear dúvidas entre os consumidores chineses.

Os irmãos Geng possuem uma estação recoletora de leite desde maio de 2004 em Hebei (a mesma província onde a Sanlu tem sua sede) e foram acusados de vender à marca três toneladas de leite contaminado.

Segundo a informação de "Xinhua", o mais velho dos irmãos, de 48 anos, começou a adulterar o leite no final do ano passado, quando a marca Sanlu rejeitou em várias ocasiões suas entregas porque não cumpriam os padrões necessários.

Os irmãos Geng, segundo a "Xinhua", confessaram que sabiam que seus atos representavam uma fraude contra a Sanlu, e reconheceram que em sua família jamais beberam o leite adulterado.

Leia mais sobre leite contaminado

    Leia tudo sobre: leite contaminado

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG