Consumo regular de soja pode afetar fertilidade do homem, diz estudo

Washington, 24 jul (EFE) - O consumo diário de meia porção de produtos de soja reduz a concentração de esperma e pode afetar a fertilidade dos homens, principalmente dos obesos, segundo um estudo publicado hoje pela revista Human Reproduction. Houve muito interesse no estrogênio e nas isoflavonas em particular, e sua possível relação com a fertilidade e outros transtornos reprodutivos, afirmou o pesquisador Jorge Chavarro, do departamento de Nutrição na Escola de Saúde Pública de Harvard (Estados Unidos). Chavarro é co-autor do livro The Fertility Diet (A dieta da fertilidade, em tradução livre), focado especialmente para as mulheres, e que recomenda uma dieta específica para aumentar as chances de gravidez. No novo estudo, Chavarro afirma que não está muito clara a relação entre a soja e a contagem de espermatozóides, mas acredita que o grão aumenta a atividade de estrogênio, hormônio que pode ter efeito negativo sobre a produção de gametas masculinos. A pesquisa em animais mostrou que as isoflavonas e o estrogênio podem ter efeito negativo sobre a reprodução, destacou Chavarro, que acrescenta que havia poucas provas da forma como essas conclusões se aplicam aos humanos. Sua nova pesquisa sustenta a hipótese da forma como os resultados dos estudos com animais poderiam se aplicar aos humanos. Mesmo assim, Chavarro considera que seus resultados são preliminares e não conclusivos.

EFE |

"É muito cedo para dizer que não se deve consumir alimentos à base de soja (...) Por enquanto, não se deve se preocupar sobre se está consumindo muita soja. Não há informação suficiente para afirmar isso de maneira conclusiva", disse.

Para o estudo, Chavarro e seus colegas colheram dados sobre 99 homens que fizeram exames em uma clínica de fertilidade. A esses homens perguntou-se quanto tinham consumido de 15 alimentos de soja nos últimos três meses.

A lista inclui tofu, embutidos de soja, toucinho e hambúrgueres de soja, leite de soja, queijo, iogurte, sorvete e outros produtos.

A equipe de Chavarro descobriu que os homens que tinham consumido mais alimentos de soja tinham 41 milhões de espermatozóides a menos por mililitro de sêmen do que os que não consumiam o grão.

A contagem normal de espermatozóides está entre 80 milhões e 120 milhões por mililitro.

Além disso, os pesquisadores concluíram que a relação entre soja e concentração de esperma era maior nos homens com excesso de peso e nos obesos, já que estes produzem mais estrogênio que os homens mais magros, e a soja poderia aumentar ainda mais esses níveis de estrogênio, destacaram. EFE jab/wr/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG