Constituição norte-coreana outorga mais poder a Kim Jong-il

Seul, 28 set (EFE).- A Constituição da Coreia do Norte, revisada no mês de abril, define o líder norte-coreano Kim Jong-il, como líder supremo e reforça seu poder e autoridade no país comunista, informou hoje a agência sul-coreana Yonhap.

EFE |

O artigo 100 da Constituição do país comunista estipula que "o chefe da Comissão Nacional de Defesa (CND) é o líder supremo da República Popular Democrática da Coreia".

Kim, presidente dessa Comissão, é o homem mais poderoso da Coreia do Norte, embora esta seja a primeira vez que a Constituição norte-coreana assim o estipule, segundo a "Yonhap".

Além disso, a nova Constituição determina que o chefe da CND é a autoridade para ratificar e anular os tratados assinados com os países estrangeiros, além de para supervisionar os assuntos nacionais e militares norte-coreanos.

A nova Constituição outorga mais peso à ideologia Songun, que prioriza os assuntos militares, e dá apoio a Kim para promover o socialismo, evitando o termo comunismo postulado por seu pai, Kim Il-sung, fundador do regime da Coreia do Norte.

Segundo uma fonte não identificada citada pelos meios de imprensa sul-coreanos, Kim Jong-il manifestou recentemente seu interesse por trabalhar para reforçar o socialismo, enquanto definiu o comunismo como um sistema difícil de ser posto em prática.

Leia mais sobre: Coreia do Norte

    Leia tudo sobre: coreiacoréia do nortecoréia do sul

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG