crucial , diz Mitchell - Mundo - iG" /

Consolidar cessar-fogo em Gaza é crucial , diz Mitchell

O emissário especial do presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, para o Oriente Médio, George Mitchell, afirmou nesta quarta-feira que é crucial consolidar e, assim, estender o cessar-fogo entre Israel e o Hamas na Faixa de Gaza.

BBC Brasil |


Mitchell, que realiza sua primeira visita à região desde que assumiu o posto, fez a declaração após um encontro com o primeiro-ministro israelense Ehud Olmert em Jerusalém.

"O primeiro-ministro e eu discutimos a importância de consolidar o cessar-fogo incluindo o fim das hostilidades, o fim do contrabando e a reabertura das passagens (da fronteira de Gaza)", disse o enviado.

"O presidente Obama afirmou que os Estados Unidos estão comprometidos com a segurança de Israel e seu direito de defesa contra ameaças legítimas. O presidente também disse que vão manter um compromisso ativo de alcançar o objetivo de (que existam) dois Estados (israelense e palestino), lado a lado, em paz e segurança", afirmou Mitchell.


George Mitchell se reúne com Ehud Olmert / AP


O emissário também afirmou que a decisão do presidente Barack Obama de enviá-lo à região menos de uma semana depois de sua posse "é uma prova clara de seu comprometimento" com a paz.

Cisjordânia

Além de se reunir em Jerusalém com Olmert, o presidente israelense, Shimon Peres, a ministra do Exterior, Tzipi Livni, e o ministro da Defesa, Ehud Barak, Mitchell deve ir à Cisjordânia na quinta-feira.

Ele deve se reunir com o líder da Autoridade Palestina, Mahmoud Abbas, em Ramallah, mas não deverá se encontrar com nenhum representante do Hamas, que controla a Faixa de Gaza.

Nesta quarta-feira Mitchell também se reuniu com o presidente egípcio Hosni Mubarak no Cairo.

De acordo com a correspondente da BBC em Jerusalém Katya Adler, Mitchell se mostrou cuidadoso em não dar detalhes sobre os encontros, mas destacou uma das maiores preocupações israelenses - o contrabando de armas para a Faixa de Gaza - e também a principal exigência do Hamas, a abertura das fronteiras de Gaza.

A correspondente da BBC, entretanto, acredita que a situação continua tensa em Gaza e os políticos israelenses ameaçam apoiar retaliações por ataques palestinos contra soldados ou cidadãos de Israel, em meio ao clima pré-eleitoral que toma conta do país.

Na última madrugada, a força aérea israelense voltou a bombardear a fronteira entre Gaza e o Egito, depois que uma bomba matou um soldado israelense e feriu pelo menos outros três.

Processo de paz

Mitchell, encarregado por Obama de trabalhar energicamente para reavivar o processo de paz entre Israel e os palestinos, tem ampla experiência nesta região.

Em 2001, ele foi enviado pelo ex-presidente americano George W. Bush para formular um plano de paz, em meio à segunda Intifada (levante palestino iniciado em 2000).

Naquela época, George Mitchell escreveu um relatório traçando um paralelo entre a violência de militantes palestinos e a expansão dos assentamentos israelenses na Cisjordânia.

O relatório Mitchell, de abril de 2001, exigia que os grupos palestinos suspendessem a violência contra civis israelenses e que Israel congelasse totalmente a construção de assentamentos, inclusive a expansão para fins chamados por Israel de "crescimento natural".

A nomeação de Mitchell para o cargo de emissário especial para o Oriente Médio e o forte apoio que o diplomata está recebendo tanto do presidente Obama como da Secretária de Estado, Hillary Clinton, despertam a apreensão da direita israelense, devido à possibilidade de uma mudança significativa na atitude do governo americano em relação a Israel.

Leia também:


Leia mais sobre Faixa de Gaza

    Leia tudo sobre: oriente médio

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG