Conservadora VMRO-DPMNE ganhou parlamentares na Macedônia

Skopje, 16 jun (EFE).- A governante e conservadora Organização Revolucionária Macedônia Interna-Partido Democrático pela Unidade Nacional da Macedônia (VMRO-DPMNE) venceu as eleições parlamentares que foram realizadas no último dia primeiro e que foram repetidas ontem em várias áreas do norte e noroeste do país por causa de irregularidades.

EFE |

A Comissão Eleitoral estadual (DIK) informou hoje que, após a apuração de 99,87% das urnas, a VMRO-DPMNE obteve 48,80% dos votos, diante da opositora e ex-governante União Social Democrata da Macedônia (SDSM), que conseguiu 23,65%.

Entre os partidos da grande minoria albanesa, que representa 25% dos dois milhões de habitantes da Macedônia, venceu a opositora União Democrática para a Integração (BDI), derivada da antiga guerrilha separatista albanesa-macedônia, com 11,13% dos votos.

Seu grande rival, o Partido Democrático dos Albaneses (DPA), que fazia parte do Governo com a VMRO-DPMNE, obteve 8,48%.

Embora após a votação do último dia primeiro ambos os partidos albaneses tenham ficado com um número similar de votos, a repetição de ontem mostrou uma vantagem da BDI entre o eleitorado da minoria albanesa.

A votação de domingo abrangeu 8% do eleitorado da Macedônia (de 1,8 milhão de pessoas) nas regiões do norte e noroeste, povoadas por albaneses.

A votação foi repetida devido a incidentes violentos com tiroteios e a uma série de irregularidades na eleição de duas semanas atrás.

Ontem à noite, o DPA anunciou novas queixas ao processo eleitoral ao acusar a BDI de roubar 35 mil votos no domingo, e antecipou que pedirá outra votação dentro de duas semanas em vários colégios eleitorais.

Caso seja realizada uma terceira votação em um mês, o resultado final dos partidos que representam a minoria albanesa poderá ser mudado.

Embora a VMRO-DPMNE tenha conquistado a maioria absoluta e pudesse governar sozinha, espera-se que estabeleça uma coalizão com algum partido albanês.

As eleições parlamentares na Macedônia foram adiantadas em virtude da crise política criada nos últimos meses, após a proclamação da independência unilateral do vizinho Kosovo - povoado majoritariamente por albaneses - e do bloqueio grego a sua adesão à Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan). EFE Ib/fh/fal

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG