Teerã, 2 jun (EFE).- O candidato conservador à Presidência do Irã Mohsen Rezaei reiterou sua aposta pela formação de um Governo de união nacional que neutralize os partidarismos no país e fortaleça suas estruturas.

O ex-chefe do Corpo de elite dos Guardiães da Revolução insistiu hoje em que as opiniões pactuadas entre várias correntes são "mais efetivas que a agenda de um só homem".

"Os assuntos do Estado não podem ser dirigidos por um só homem, uma única legenda ou uma única equipe", disse Rezaei, para quem a principal causa da crise que atravessa o país é "a má administração".

Rezaei, que já concorreu à Presidência em 2005, mas se retirou dois dias antes da votação em favor do atual presidente, Mahmoud Ahmadinejad, considerou que os iranianos "estão cansados de ver facções políticas que constantemente entram em guerra umas com as outras".

Por isso, mesmo que não seja o vencedor, pedirá ao novo presidente que forme seu gabinete com membros tanto do campo reformista como do conservador.

Rezaei, atual secretário-geral do influente Conselho de Discernimento, é, a priori, o candidato com menos possibilidade de vitória no dia 12 de junho.

Seus principais rivais são o próprio Ahmadinejad, que briga pela reeleição, e os pró-reformistas Mehdi Karroubi e Mir Hussein Musavi.

Ahmadinejad reiterou em várias ocasiões que se opõe à ideia do Governo de unidade de Rezaei. EFE jm/mh

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.