Conselho indígena e polícia entram em novo conflito na Colômbia

Bogotá, 15 out (EFE).- A Polícia da Colômbia e os indígenas que bloqueiam a Estrada Pan-americana no estado de Cauca (sudoeste) se enfrentaram novamente hoje, um dia depois de pelo menos uma pessoa morrem e de outras 40 se ferirem em choques similares.

EFE |

Desde o fim de semana passado 7 mil indígenas estão concentrados em María, a 600 quilômetros ao sudoeste de Bogotá, para protestar pelo assassinato de mais de 20 deles neste ano, reivindicar terras e se solidarizar com uma greve de cortadores de cana-de-açúcar do estado vizinho do Vale.

O Conselho Regional Indígena do Cauca acusou hoje, em comunicado, o esquadrão antidistúrbios da Polícia de disparar contra os manifestantes.

"Atacam-nos com fuzis, vão nos massacrar", assinalou no comunicado o conselho.

O general Orlando Paez, diretor de Segurança Cidadã da Polícia , declarou por sua parte que um agente da Polícia perdeu as duas mãos pela explosão de uma bomba e acusou os manifestantes de abrir buracos na estrada e de depredar veículos de carga estacionados na via bloqueada.

O general Páez acusou os indígenas de estar "em acordo" com guerrilheiros das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) para instalar explosivos.

No entanto, Daniel Piñacué, chefe do protesto, negou em declarações a várias emissoras que os indígenas estejam armados.

"Não temos armas, não somos homens de armas, mas, se nos levarem a retomá-las, este será o último caminho para defender as comunidades aborígines deste país", manifestou.

Piñacué voltou a exigir a presença do presidente da colombiano, Álvaro Uribe, para falar de seus problemas.

"Tivemos umas confrontos muito fortes até a madrugada", declarou o general Paez, que assegurou que os grevistas atravessaram caminhões de carga na estrada, furaram suas rodas, cortaram as mangueiras de gasolina, derrubaram postes de eletricidade e de telefone.

"Estamos retirando os obstáculos com tanques e tapando os buracos. Já recuperamos a via, evacuamos os feridos e vamos dar passagem na estrada Pan-americana", acrescentou. EFE gta/jp

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG