Conselho de Segurança se reúne após lançamento de foguete

Foguete da Coreia do Norte falhou e caiu no mar, de acordo com o Japão

EFE |

O Conselho de Segurança da ONU se reunirá nesta sexta-feira para analisar em caráter de urgência o lançamento realizado pela Coreia do Norte de um foguete de longo alcance , em violação das resoluções das Nações Unidas.

O principal órgão internacional de segurança, presidido em abril pelos Estados Unidos, convocou para as 11h (de Brasília) de sexta-feira uma reunião urgente entre seus 15 membros para tratar o lançamento do míssil norte-coreano e avaliar uma possível resposta, informaram fontes diplomáticas.

"Trata-se de uma violação muito grave das resoluções que será condenada pelo Conselho de Segurança da maneira mais enérgica", afirmou à Agência Efe um diplomata ocidental em condição de anonimato poucos minutos após saber que as autoridades norte-coreanas tinham realizado o polêmico lançamento.

A Coreia do Norte lançou hoje seu foguete de longo alcance Unha-3, que parte da comunidade internacional considera um teste balístico encoberto, segundo confirmaram fontes sul-coreanas e também do Departamento de Defesa dos Estados Unidos. O lançamento aconteceu às 07h40 locais (19h40 de Brasília), segundo uma fonte oficial sul-coreana citada pela agência "Yonhap", que detalhou que Coreia do Sul tenta identificar a trajetória do projétil.

A Coreia do Norte havia anunciado que lançaria um satélite mediante um foguete de longo alcance entre os dias 11 e 16 de abril, coincidindo com as celebrações pelo centenário do fundador do país, Kim Il-sung. Ainda hoje a presidente temporária do Conselho, a americana Susan Rice, assegurou que, se a Coreia do Norte seguisse adiante com o lançamento, este representaria "uma flagrante violação do direito internacional e suas obrigações internacionais", e que teria que ser respondido "de maneira crível".

"Cada vez que seguem um caminho como esse, seu isolamento se intensifica, as necessidades de seu povo aumentam e se situam mais e mais longe das fronteiras da comunidade internacional", disse Susan Rice à imprensa.

A Coreia do Norte insiste que a missão de lançamento do míssil tem fins pacíficos e que o objetivo é pôr em órbita um satélite de observação terrestre com fins científicos. A Coreia do Norte realizou um teste similar ao de hoje em 2009, que lhe valeu a condenação do Conselho de Segurança da ONU, perante o que o país comunista respondeu retirando-se da mesa multilateral de negociação de seu programa nuclear.

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG