Conselho de Segurança discutirá violência na Geórgia

O Conselho de Segurança das Nações Unidas deve realizar uma rara sessão de emergência nesta sexta-feira, a pedido da Rússia, para discutir a escalada de violência na região da ex-república soviética da Geórgia. Forças da Geórgia e separatistas da Ossétia do Sul começaram a travar pesados combates poucas horas depois de acertado um cessar-fogo em conversações mediadas pela Rússia.

BBC Brasil |

    Matthew Collin, correspondente da BBC na capital da Geórgia, Tbilisi, disse que o reduto separatista de Tskhinvali parece estar cercado, e há uma série de enormes explosões.

    Há notícias de que várias pessoas foram mortas em bombardeios em volta da cidade.

    A violência despertou temores de uma nova guerra na volátil região do Cáucaso.

    Troca de acusações
    Mais cedo, um porta-voz do Ministério do Exterior da Rússia, Boris Malakhov, disse que a liderança da Geórgia deveria "retornar a formas civilizadas de resolver problemas complicados".

    A Rússia entregou passaportes a residentes na Ossétia do Sul e advertiu que não vai ficar parada se o que qualifica como "seus cidadãos" forem atacados.

    Os separatistas têm o apoio russo e apelaram para Moscou e ao mundo para protegê-los do "extermínio".

    A Geórgia diz que está em andamento uma operação para restaurar a ordem constitucional.

    A Rússia pediu à comunidade internacional para trabalhar conjuntamente para "impedir um derramamento de sangue maciço e novas vítimas".

    Otan
    Centenas de combatentes da Rússia e da outra região separatista da Geórgia, a Abkházia, estão se dirigindo à Ossétia do Sul para ajudar as forças separatistas, de acordo com agências de notícia russas.

    A Geórgia acusa a Rússia de armar as autoridades na Ossétia do Sul, que tentam uma separação da Geórgia desde uma guerra civil na década de 90. Moscou nega a alegação.

    A população da Ossétia do Sul tem boas relações com a Rússia, e a Ossétia do Norte é parte da Federação Russa.

    A Rússia está insatisfeita com a ambição da Geórgia de integrar a Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan, a aliança de defesa ocidental), e acusou o país de concentrar suas forças em torno das regiões separatistas, onde trops de paz russas estão estacionadas.

      Leia tudo sobre: georgia

      Notícias Relacionadas


        Mais destaques

        Destaques da home iG