O Conselho de Segurança das Nações Unidas iniciou nesta terça-feira uma reunião para debater a condenação pela justiça birmanesa da opositora Aung San Suu Kyi a mais 18 meses de prisão domiciliar, constatou a AFP.

"Os Estados Unidos vão se juntar a outros países para sugerir um comunicado ao Conselho de Segurança condenando a sentença imposta à dirigente da oposição birmanesa, e exigir sua libertação imediata", declarou à imprensa a embaixadora americana na ONU, Susan Rice.

A diplomata avisou que outros países podem ter "uma visão diferente" do caso. De fato, é provável que China e Rússia evitem condenar a junta militar de Mianmar.

ga/yw/LR

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.