Conselho de Segurança da ONU reitera apoio ao Haiti

O Conselho de Segurança reafirmou nesta terça-feira seu apoio ao governo do Haiti e à missão da ONU no país, liderada pelo Brasil, que enfrentam uma onda de manifestações contra a pobreza e o aumento do custo de vida, informou o presidente do organismo.

AFP |

"Ressaltando a responsabilidade do governo e do povo do Haiti na estabilização do país", os membros do Conselho destacaram "a importância da manutenção de um apoio internacional forte para este país face aos desafios com os quais se depara em seu caminho para o desenvolvimento", declarou à imprensa o embaixador da África do Sul na ONU, Dumisani Kumalo, que preside o Conselho em abril.

Ele falou, em nome do Conselho, ao fim de uma sessão dedicada à análise da situação feita pelo representante da ONU no Haiti, Hedi Annabi, seguida de consultas.

"Os membros do Conselho reiteraram seu apoio ao governo haitiano e à Minustah (Missão das Nações Unidas para a Estabilização do Haiti) em seus esforços para assegurar a estabilidade, consolidar a democracia e criar condições que possam conduzir ao crescimento econômico, ao desenvolvimento social e ao fornecimento da ajuda humanitária", disse.

O Conselho também "lamentou fortemente a violência ocorrida no dia 4 de abril e as perdas de vidas humanas", condenando principalmente o ataque cometido neste dia contra bases da ONU na cidade de Cayes (sul).

Em uma entrevista concedida à imprensa, Annabi ressaltou que progressos reais foram obtidos no Haiti graças à ação da Minustah, mas que estes progressos eram "muito frágeis e reversíveis".

Em conseqüência, considerou que chegou o momento para uma redução das tropas da Minustah. Mobilizada no Haiti há quatro anos, a força conta com cerca de 10.000 homens, dos quais mais de 7.000 capacetes azuis originários de mais de 60 países sob comando do Brasil.

hc/dm

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG