Conselho de Segurança adia reunião sobre veredicto de Suu Kyi

O Conselho de Segurança das Nações Unidas adiou para esta quarta-feira uma sessão de emergência para discutir uma reação à nova condenação da líder da oposição em Mianmar, Aung San Suu Kyi, a 18 meses adicionais de prisão domiciliar. Segundo o embaixador da Grã-Bretanha na ONU, John Sawers, a decisão foi tomada pois alguns países, como China e Rússia, pediram mais tempo para analisar uma minuta de declaração apresentada pelos Estados Unidos condenando o veredicto.

BBC Brasil |

De acordo com a correspondente da BBC em Washington Kim Ghattas, o texto apresentado pelos EUA pede a libertação imediata de Suu Kyi e de outros prisioneiros políticos.

Além disso, ainda requer das autoridades de Mianmar esforços para garantir um processo eleitoral inclusivo e de credibilidade.

A minuta conta com o apoio de países como a Franca e a Grã-Bretanha no Conselho de Segurança, mas os EUA buscam um apoio unânime à declaração.

Da última vez que Washington apresentou uma minuta pedindo a libertação incondicional da líder, o texto foi bloqueado pela China e pela Rússia.

Embaixadores nas Nações Unidas estão consultando suas capitais sobre a minuta apresentada pelos EUA antes da reunião desta quarta-feira.

Segundo Ghattas, não há sinais de como Pequim irá reagir em meio à forte condenação sobre o veredicto em diversas partes do mundo, mas é provável que a China novamente pressione por uma versão mais amena do documento.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG