Conselho de Guardiães do Irã pede neutralidade a observadores em pleito

Teerã, 10 jun (EFE).- O Conselho de Guardiães pediu hoje aos observadores eleitorais dos quatro candidatos à Presidência do Irã que permaneçam neutros durante as eleições de sexta-feira.

EFE |

Em comunicado divulgado hoje, o organismo, que precisa ratificar o resultado final, pede a todos os participantes das eleições "uma atenção extra".

"Os observadores e os funcionários que participam do processo são responsáveis pelo voto das pessoas, que devem salvaguardar. Nenhum deles deve mostrar suas preferências, assim como não devem se comportar contra a ética, a religião e a lei", afirma o comunicado.

O Conselho de Guardiães é um órgão composto por 12 pessoas que possui poder inferior apenas ao do líder supremo da Revolução Iraniana, aiatolá Ali Khamenei.

Entre suas funções se destacam a vigilância do cumprimento da Constituição e das leis islâmicas que regem o país, e a organização de todos os processos eleitorais que acontecem no Irã.

O Conselho de Guardiães admite ou rejeita os candidatos, e precisa confirmar os resultados para que sejam válidos.

Na última segunda-feira, o Ministério do Interior iraniano informou que estaria prevista a presença de um observador de cada candidato durante o processo eleitoral.

O Irã não permitiu, no entanto, a presença de observadores internacionais nas eleições, que esperam reunir mais de 46 milhões de iranianos. EFE jm/rr

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG