Genebra, 15 set (EFE).- O Conselho de Direitos Humanos da ONU (CDH) decidiu hoje que o diplomata hondurenho Delmer Urbizo, ligado ao Governo do presidente de fato do país, Roberto Micheletti, não será aceito no fórum.

Para o CDH, apenas um representante do presidente deposto de Honduras, Manuel Zelaya, pode ocupar o assento do país no órgão.

O presidente do CDH, o embaixador belga Alex Van Meeuwen, anunciou que o conflito criado pela representação de Honduras já tinha sido resolvido e que, portanto, o organismo da ONU poderia continuar com os trabalhos interrompidos desde ontem por este motivo.

A solução foi atingida depois que a Presidência do Conselho recebeu um relatório do escritório do secretário-geral da ONU o qual ressalta que as Nações Unidas só reconhecem o Governo de Zelaya, deposto em 28 de junho por Micheletti.

O embaixador Urbizo tinha sido nomeado pelo Governo de Manuel Zelaya, mas depois expressou sua fidelidade a Micheletti.

Ontem, no primeiro dia de reunião do CDH, os países latino-americanos saíram juntos em defesa do presidente deposto de Honduras e afirmaram que não aceitariam a participação do embaixador fiel a Micheletti. EFE vh/bba

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.