Conselho da ONU marca reunião para discutir Coreia do Norte

Por Patrick Worsnip e Jack Kim NAÇÕES UNIDAS/SEUL (Reuters) - O Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas (ONU) marcou uma reunião na segunda-feira para discutir o mais recente lançamento de mísseis da Coreia do Norte, no momento em que uma embarcação norte-coreana suspeita de transportar armas proibidas deveria retornar ao país.

Reuters |

O conselho de 15 países deverá se reunir a portas fechadas às 17h (no horário de Brasília), disse um porta-voz da ONU.

O encontro ocorre depois de Pyongyang disparar sete mísseis balísticos no sábado no Mar do Japão, desafiando resoluções do Conselho de Segurança que proíbem tais lançamentos.

Países do Ocidente esperam que o conselho emita um comunicado condenando os lançamentos, disse um diplomata ocidental sob a condição de anonimato. A reunião foi solicitada pelo Japão, que atualmente faz parte do conselho, acrescentou o diplomata.

Não estava claro qual seria a posição da China sobre o caso. A China tem poder de veto no conselho e é o país que chega mais perto de ser um aliado de Pyongyang.

Os lançamentos feitos durante o feriado norte-americano de 4 de julho, o Dia da Independência dos EUA, foi percebido como um ato de desafio aos EUA, que têm reprimido empresas suspeitas de ajudar a Coreia do Norte a comercializar armas e mísseis.

Aparentemente, a Coreia do Norte disparou dois mísseis de médio alcance Rodong (capazes de atingir todo o território da Coreia do Sul e a maior parte do Japão), além de cinco mísseis Scud (de alcance menor, capazes de atingir a maior parte da Coreia do Sul), disseram autoridades sul-coreanas a jornalistas.

No mês passado, o Conselho de Segurança aprovou uma resolução ampliando sanções anteriores da ONU contra a Coreia do Norte em resposta ao teste nuclear realizado em 25 de maio por Pyongyang.

Um comitê de sanções da ONU avalia a possibilidade de incluir mais pessoas e empresas norte-coreanas numa lista negra por apoiar o programa nuclear de Pyongyang. Esse trabalho deve ser finalizado na sexta-feira.

O cargueiro norte-coreano deveria voltar ao país na segunda-feira após uma viagem rastreada pela Marinha dos EUA, disse o porta-voz do Ministério da Defesa da Coreia do Sul, Won Tae-jae.

A volta do Kang Nam, que partiu em meados de junho, poderia amenizar as tensões provocadas pelo lançamento dos mísseis. Os jornais sul-coreanos afirmaram que a embarcação se dirigia para o porto de Nampo após chegar até perto de Mianmar.

Analistas afirmaram que o teste com mísseis pode estar relacionado às sanções da ONU, porque a Coreia do Norte quer mostrar a seus clientes que seus produtos são confiáveis e precisos.

O porta-voz do Ministério da Defesa disse que a Coreia do Norte aperfeiçoou a precisão de seus mísseis. Os lançados no sábado percorreram até 420 quilômetros.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG