Conselheiro presidencial desmente que Putin prepare sua volta ao Kremlin

O primeiro-ministro russo Vladimir Poutine não pretende retornar ao Kremlin e o presidente Dmitri Medvedev poderá se apresentar a um segundo mandato, declarou nesta sexta-feira um conselheiro do chefe de Estado em referência aos rumores a esse respeito surgidos na imprensa.

AFP |

"Acho a decisão será tomada no fim de 2011", declarou Arkadi Dvorkovitch, conselheiro econômico do Kremlin, indagado a respeito se Putin pretende voltar à chefia do Estado russo.

"Acredito que o trabalho do presidente nesse momento é eficiente e ele tem o apoio dos cidadãos e uma grande chance de ser releeito para um novo mandato", enfatizou.

Segundo matéria do russo jornal Vedemosti esta semana, citando fontes ligadas à presidência, a proposta de Medvedev de estender de quatro a seis anos o mandato presidencial prepararia a volta de Putin à presidência.

O anúncio que Medvedev fez na quarta-feira, durante seu primeiro discurso sobre o estado da Nação, faria parte de um plano ainda mais amplo para preparar o terreno para a volta de Putin ao Kremlin, afirma

"O plano inclui a eleição de seu sucessor, que realizaria as mudanças constitucionais e as reformas sociais pouco populares para que Putin volte ao Kremlin por mais tempo", afirma o jornal.

"Medvedev pode renunciar, argumentando que, com as mudanças na Constituição, é possível convocar eleições presidenciales em 2009", acrescenta uma fonte, indicando que o plano foi elaborado pelo próprio Putin com a ajuda de seu conselheiro Vladislav Surkov.

"Que eu saiba, não há eleições previstas para o fim do ano que vem. Vladimir Putin é o primeiro-ministro e quer trabalhar como primeiro-ministro. Dmitri Medvedev pensa em trabalhar como presidente", afirmou à AFP Dmitri Peskov, porta-voz de Putin.

Indagado sobre uma possível candidatura à presidência do atual chefe de Governo, Peskov respondeu que o "mandato presidencial (de Medvedev) acaba de começar" e que, por isso, "é impossível falar disso agora".

Putin deixou a presidência em maio passado (2000-2008) para seu herdeiro político Medvedev, eleito nas urnas em março.

A atual Constituição russa não permite ao presidente mais de dois mandatos consecutivos. No entanto, não o proíbe de voltar a se apresentar uma terceira vez se houver uma interrupção de mandato.

"A campanha eleitoral de Putin praticamente já começou", indicou outra fonte citada pelo Vedomosti, acrescentando que Putin fará um discurso com tons eleitorais durante o congresso de seu partido, o Rússia Unida, em 20 de novembro.

dt-alf/cn/fp

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG