Conselheiro denuncia complô para matar Ahmadinejad em Bagdá e Roma

Um conselheiro do presidente iraniano Mahmud Ahmadinejad afirmou nesta segunda-feira que o chefe de Estado ultraconservador escapou de duas tentativas de assassinato no Iraque, em março passado, e na Itália, no início de junho, em uma conferência internacional.

AFP |

"As ações do presidente nos últimos três anos colocaram em perigo os interesses ilegítimos de muita gente no Irã e no exterior, e, por isso, alguns pensaram que podiam derrubá-lo ou assassiná-lo", assegurou Ali Zabihi, conselheiro so presidente para recursos humanos.

"Os complôs para assassinar o presidente no Iraque e na conferência da FAO (Organização das Nações Unidas para a Alimentação e Agricultura) fracassaram graças a Deus", acrescentou.

Na semana passada, o presidente afirmou que 'inimigos' planejaram seqüestrá-lo e matá-lo durante sua visita histórica ao Iraque em março, mas que uma mudança de programa fez o plano fracassar.

sgh/pcl/cn/fp

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG