Conselheiro de papa chama Reino Unido de 'Terceiro Mundo'

Após polêmica por declarações, cardeal anuncia que não estará na viagem de Bento 16 à Grã-Bretanha, que começa na quinta-feira

iG São Paulo |

Um dos conselheiros mais graduados do papa Bento 16 desistiu da viagem do pontífice à Grã-Bretanha, que começa na quinta-feira, depois de afirmar que o Reino Unido é um "país de Terceiro Mundo" marcado por "um novo e agressivo ateísmo".

O cardeal Walter Kasper, de 77 anos, fez as declarações em uma entrevista a uma revista alemã. O Vaticano disse que o cardeal não tinha nenhuma intenção de cometer "qualquer desfeita", e se referia à sociedade multicultural britânica. O Vaticano também afirmou que o cardeal não acompanhará o papa na viagem por causa de uma doença.

O cardeal alemã foi citado dizendo à revista Focus que, "quando você pousa em Heathrow, você pensa às vezes acha ter aterrissado em um país de Terceiro Mundo". Ele também criticou a British Airways, dizendo que, quando se usa uma cruz na companhia aérea, "sofre discriminação".

Em 2006, um empregado da British recebeu a ordem de não usar uma cruz no trabalho. Ela levou o caso à Justiça trabalhista, alegando que havia sofrido discriminação no trabalho, mas perdeu e depois também perdeu a apelação subsequente. A companhia aérea mudou suas regras de uniforme em 2007, permitindo aos funcionários expor um símbolo de fé ou caridade.

Fontes do Vaticano disseram que o cardel Kasper - que renunciou em julho como chefe do departamento que lida com outras denominações cristãs - sofria de gota e havia sido aconselhado por seus médicos a não viajar à Grã-Bretanha.

Viagem de Bento 16

Bento 16 começa na quinta-feira a primeira visita de Estado de um papa ao Reino Unido, e seu principal objetivo é acalmar as tensões que ainda subsistem entre as igrejas católica e anglicana, cinco séculos depois do cisma de Henrique 8º.

Vários grupos também pretendem denunciar posturas da Igreja que consideram intolerantes em âmbitos tão diversos quanto a ordenação de mulheres, homossexualidade, aborto e o custo da visita para o contribuinte inglês. A hostilidade em relação ao pontífice poderá aumentar depois das recentes revelações na Bélgica sobre os abusos sexuais por parte do clero . O escândalo sacudiu a Igreja católica, especialmente na vizinha e católica Irlanda.

Reuters
Fotos mostrando vítimas de pedofilia por parte de padres são expostas durante protesto em frente de catedral Edinburgh, Escócia
Pela primeira vez na história, um pontífice visitará o arcebispo de Canterbury. O atual, Rowan Williams, é líder espiritual de 70 milhões de anglicanos em todo o mundo. Bento 16 o visitará em Lambeth Palace, sua residência oficial de Londres.

No mesmo dia, sexta-feira, o papa pronunciará um discurso para líderes da sociedade civil em Westminster Hall, prédio mais antigo do Parlamento inglês - onde, em 1535, São Thomas More, lord chanceler de Henrique 8º, foi acusado de alta traição por se opor aos planos do monarca de se tornar chefe supremo da Igreja na Inglaterra.

Acompanhado do arcebispo de Canterbury, Bento 16 rezará também no túmulo de Santo Eduardo, o Confessor na Abadia de Westminster, fundada no século 11, antes das divisões da reforma.

As diferenças entre as igrejas ficarão mais evidentes do que nunca quando o pontífice for recebido na abadia de Westminster por sua sacerdote, Jane Hedges, reverenda e uma das principais cabeças por trás da campanha anglicana a favor da consagração de mulheres bispos.

Esse tema e a abertura religiosa à homossexualidade foram responsáveis pelas mais recentes fricções entre as duas igrejas, e alguns anglicanos ainda não digeriram o texto promulgado por Bento 16 no fim de 2009 para facilitar a conversão de bispos e sacerdotes contrários à evolução de sua própria igreja em várias frentes.

*Com BBC e AFP

    Leia tudo sobre: papagrã-bretanhaviagembento 16pedofilia

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG