Conselheiro de Obama para o Oriente Médio deixa o cargo

Dennis Ross explicou em comunicado que havia prometido à sua mulher que se retiraria da vida pública depois de dois anos

iG São Paulo |

AFP
Dennis Ross em encontro com secretário da Liga Árabe Amr Mussa no Cairo (04/07/2009)
O conselheiro especial do presidente americano Barack Obama para Oriente Médio, Dennis Ross, anunciou nesta quarta-feira sua renúncia depois de dois anos de agitação no mundo árabe e de um período difícil nas relações entre Estados Unidos e Israel.

Leia também: EUA tentam tranquilizar Israel após gafe de Obama e Sarkozy

Ross, um veterano negociador americano para a paz, explicou em um comunicado que havia prometido à sua mulher que se retiraria da vida pública depois de dois anos no cargo e que esse tempo já tinha esgotado.

"Foi uma honra trabalhar com a administração Obama e servir a esse presidente, particularmente durante um período de mudanças sem precedentes em todo o Oriente Médio", afirmou o diplomata.

"Obviamente, ainda há trabalho a ser feito, mas prometi à minha mulher que voltaria ao governo somente por dois anos e nós dois estamos de acordo que é hora de cumprir a promessa.”

“Agradeço ao presidente Obama por ter me dado essa oportunidade mais uma vez em trabalhar de forma ampla nos problemas e desafios do Oriente Médio e apoiar seus esforços para promover a paz na região.”

Ross é conhecido como um negociador paciente no Oriente Médio, com profundos lanços com várias gerações de líderes israelenses. Seus críticos, no entanto, afirmam que ele é muito próximo das posições de Israel.

Ele sustentou posições diplomáticas chaves nos governos George H. W. Bush (1989-1993) e Bill Clinton (1993 – 2001), assim como no de Obama.

O título formal de Ross é Assistente Especial ao Presidente e Diretor Sênior da Região Central, área que inclui Israel, Afeganistão, Paquistão, Golfo Pérsico e Sul da Ásia.

A saída de Ross acontece em um momento particularmente difícil para o governo Obama, que está em conflito com o premiê israelense , Benjamin Netanyahu, sobre o processo de paz no Oriente Médio e lida com as consequências da Primavera Árabe .

A demissão de Ross segue a do enviado especial ao Oriente Médio, George Mitchell, que deixou o governo em maio , apenas dias antes da visita de Netanyahu à Casa Branca.

Com informações da CNN e da AFP

    Leia tudo sobre: dennis rossobamaoriente médiomundo árabenetanyahuisrael

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG