Conheça a equipe que irá governar com Barack Obama

WASHINGTON - Barack Obama, 44º presidente dos Estados Unidos, já nomeou os principais membros de seu governo.

Redação com agências internacionais |


Clique para ver o gráfico com a equipe de Obama

Veja abaixo o perfil dos principais membros da administração de Barack Obama:

Secretarias

Hillary Clinton - secretária de Estado

Advogada, primeira-dama e senadora por Nova York, Hillary Diane Rodham, que adotou o sobrenome do marido, o ex-presidente Bill Clinton, nasceu no dia 26 de outubro de 1947 em Illinois (centro), sendo a mais velha de três irmãos ( leia mais sobre Hillary Clinton ).

Brilhante oradora, Hillary Clinton carrega o peso de uma imagem julgada muito fria e altaneira por seus detratores. Ao mesmo tempo, a senadora por Nova York é uma das mulheres mais admiradas do país, segundo pesquisa Gallup divulgada recentemente.

Suas campanhas eleitorais de 2000 e 2006 em Nova York se converteram em ensaio para a disputa da Casa Branca.

Depois dos atentados de 11 de setembro de 2001 em Nova York e Washington, Hillary foi considerada uma nova-iorquina modelo, incansável. Em 2002, como integrante do poderoso Comitê de Defesa do Senado, aprovou a resolução autorizando a invasão do Iraque.

Robert Gates - secretário de Defesa

O atual secretário de Defesa Robert Gates, de 65 anos, indicado por George W. Bush, será mantido no cargo. Será a primeira vez que um secretário de Defesa fará parte da equipe de governo de um outro partido.

Gates, ex-diretor da CIA, é considerado um administrador pragmático e tem sido elogiado por republicanos e democratas desde que substituiu o agressivo Donald Rumsfeld, no final de 2006.

Segundo a imprensa norte-americana, o secretário Gates aceitou se manter na pasta por pelo menos um ano e executar a política de Obama para a retirada das tropas estacionadas no Iraque. Depois do prazo de um ano, Gates deve ceder o lugar ao ex-secretário da Marinha Richard Danzig, atual conselheiro militar de Barack Obama.

Eric Holder - secretário de Justiça

O presidente eleito dos Estados Unidos, Barack Obama, escolheu Eric Holder, ex-membro da administração Clinton, para secretário da Justiça.

Holder tem 57 anos e, caso seja confirmado no cargo pelo Senado, será o primeiro negro a chefiar o departamento de Justiça. Ele foi secretário-adjunto durante o governo Clinton e conselheiro de Obama durante a campanha eleitoral. Junto com Caroline Kennedy, ajudou a selecionar o candidato à vice-presidência, Joe Biden.

Nascido em Nova York e graduado na Universidade de Columbia, Holder trabalhou durante muitos anos como promotor federal, um trabalho no qual ganhou reputação de inimigo da corrupção no setor público.

O ex-presidente Bill Clinton nomeou-o advogado do Estado para o distrito de Columbia e, em 1997, se tornou secretário-adjunto de Justiça sob o mandato de Janet Reno à frente do departamento.

Timothy Geithner - secretário do Tesouro

Timothy Geithner, de 47 anos, será o secretário do Tesouro de Barack Obama, tendo como prioridade supervisionar o ambicioso plano de resgate da economia americana. Geithner, um defensor do livre mercado e do equilíbrio orçamentário, substituirá Henry Paulson, o atual secretário do Tesouro e ex-presidente do banco americano Goldman Sachs.

Geithner é, desde 2003, o atual presidente do Federal Reserve (banco central) do Estado de Nova York. Ao lado do presidente do Federal Reserve dos EUA, Ben Bernake, ajudou na formulação do pacote de U$ 700 bilhões para socorrer as instituições afetadas pela crise econômica. Entre 2001 e 2003, ele dirigiu o Departamento de Políticas de Desenvolvimento do Fundo Monetário Internacional (FMI).

Tim Geithner é graduado em Governança e Estudos de Governos Asiáticos e não é economista. Sua profunda experiência em políticas monetárias, de desenvolvimento e em assuntos de comércio internacional fez dele a melhor opção para o posto de secretário de governo de Obama.

Ken Salazar - secretário de Interior

O senador democrata pelo Colorado Ken Salazar ocupará a Secretaria de Interior da administração Obama.

Salazar, de 53 anos e de origem latina, é um ativista ambiental que foi procurador-geral do Estado antes de chegar virar legislador.

A Secretaria de Assuntos Internos tem por missão assegurar a gestão dos recursos naturais e supervisionar o trabalho de agências como a de Desenvolvimento do Território, os parques nacionais e o Instituto Geofísico Americano (USGS).

Salazar provavelmente será um membro-chave da equipe energética de Obama, responsável pela avaliação do arrendamento de terras federais para extração de petróleo e gás.

Steven Chu - secretário de Energia

O prêmio Nobel de Física Steven Chu foi nomeado secretário de Energia da administração Obama.

Filho de imigrantes chineses, Chu estudou na Universidade de Stanford, na Califórnia e ganhou o Prêmio Nobel de Física em 1997 por seu trabalho sobre "os métodos de esfriamento e captura de átomos com laser".

Desde 2004 é diretor do laboratório nacional Lawrence Berkeley, na Califórnia.

Chu defendeu soluções científicas para o aquecimento global e fez com que o laboratório Lawrence Berkeley se tornasse o líder mundial em pesquisas de energias alternativas e renováveis.

Tom Vilsack - secretário da Agricultura

Tom Vilsack, ex-governador do Estado agrícola de Iowa, será nomeado secretario da Agricultura no governo de Obama.

Vilsack, 58 anos, chegou a ser por um breve período adversário de Barack Obama na corrida à indicação democrata para a Casa Branca, mas deixou a disputa muito cedo, no início de 2007. Em seguida, passou a apoiar a senadora por Nova York Hillary Clinton.

O ex-governador apóia regras mais duras para os subsídios agrícolas e biocombustíveis de nova geração. Um de seus principais desafios como governador foi levar um agribusiness de alta tecnologia para Iowa.

Tom Vilsack foi eleito governador de Iowa duas vezes: em 1998 e, depois, em 2002 para dois mandatos de 4 anos.

Arne Duncan - secretário da Educação

O presidente eleito dos Estados Unidos, Barack Obama, escolheu o diretor do sistema educacional de Chicago, Arne Duncan, como seu secretário de Educação.

Arne Duncan formou-se em Harvard e é amigo íntimo do presidente eleito. À frente do terceiro maior distrito educacional dos EUA, tornou-se conhecido por cobrar mais eficiência de professores e escolas.

Duncan é conhecido por tomar medidas estritas para reformar as escolas, mas também por manter uma relação respeitosa com os professores e os sindicatos.

Um dos projetos mais recentes e polêmicos de Duncan foi sua proposta de criar a primeira escola preparatória pública para estudantes homossexuais, bissexuais e transgêneros.

Robert Gibbs - secretário de Imprensa

O ex-diretor de comunicações no Senado Robert Gibbs vai ocupar o cargo de Secretário de Imprensa na Casa Branca.

Gibbs, que foi porta-voz de Obama durante a campanha eleitoral à presidência, tem a reputação de hábil debatedor e de ser conselheiro de Obama em assuntos-chave.

Natural do Arkansas, terra do ex-presidente Bill Clinton, Gibbs esteve ao lado de Obama durante as inúmeras viagens do candidato democrata pelos Estados Unidos, quando lidou com habilidade com a imprensa. Gibbs também foi o comentarista para a TV das declarações de Obama, e a voz que respondia os ataques dos republicanos.

Na Casa Branca, a função de Gibbs não se limitará às entrevistas coletivas, e certamente ele terá um papel central na estratégia política e de comunicação do governo Obama, com acesso direto ao presidente e opinião nas decisões diárias mais importantes.

Tom Daschle - secretário de Saúde

O ex-senador democrata Tom Daschle será o secretário de Saúde da administração de Barack Obama.

Daschle, que é de Dakota do Sul, foi um dos primeiros partidários de Obama, incentivando o senador por Illinois, que estava em seu primeiro mandato, a entrar na disputa presidencial.

Daschle, que foi líder da maioria democrata no Senado, mas não conseguiu, em 2004, ser reeleito por Dakota do Sul, negociou com a equipe de Obama se transformar também na autoridade máxima para assuntos sanitários da Casa Branca. O ex-senador liderará o grupo encarregado de revisar o Departamento de Saúde Pública e realizar propostas a serem adotadas pelo próximo governo.

Quando Obama assumir o cargo, em 20 de janeiro, Daschle terá de aplicar uma das grandes promessas da campanha democrata: reformar o sistema de Saúde em um país onde 46 milhões de pessoas não têm cobertura médica.

Daschle chefiará também uma agência de supervisão de programas de saúde como o Medicare, que deve ver seus custos subirem com o envelhecimento da população norte-americana.

Janet Napolitano - Departamento de Segurança Nacional

A governadora do Arizona, Janet Napolitano, estará à frente do Departamento de Segurança Nacional, criado após os atentados de setembro de 2001.

A política de 50 anos foi a primeira mulher na história do país a atuar como promotora do governo, procuradora-geral do Estado e governadora de forma consecutiva.

A governadora se opôs a vários projetos de lei que tinham como objetivo punir os imigrantes ilegais e decidiu pôr ênfase no sistema e nas pessoas que tornam possível a imigração ilegal.

Assim, pediu que os Estados que contratam assegurassem que seus empregados residissem de forma legal no país e criou uma unidade destinada a deter os que falsificam documentos de identidade. Napolitano defende reforçar a segurança fronteiriça, mas expressou seu ceticismo sobre a conveniência de levantar um muro na fronteira entre EUA e México.

Casa Branca

Rahm Emanuel - Chefe de Gabinete

Rahm Emanuel, de 48 anos e considerado um grande conhecedor das engrenagens do Congresso americano, foi assessor do ex-presidente Bill Clinton e também um firme aliado de Obama durante as primárias do partido Democrata. Politicamente, o deputado é considerado uma das estrelas em ascensão dentro do partido.

Emanuel, que dirigiu a bem-sucedida campanha dos democratas nas eleições de 2006 para a Câmara de Representantes, é conhecido por sua liderança de estilo direto e, às vezes, rude, que os republicanos algumas vezes consideraram excessivamente partidária.

O chefe de gabinete da Casa Branca, um posto-chave dentro da administração, tem como funções assessorar o presidente e coordenar os diferentes departamentos. O atual chefe de gabinete da Casa Branca é Joshua Bolten.

Ronald Klain - Chefe de Gabinete do Vice-Presidente

O vice-presidente eleito Joe Biden escolheu Ron Klain, de 47 anos, ex-assessor do ex-vice-presidente Al Gore, para ser seu chefe de gabinete.

Advogado de Washington, Klain foi chefe de gabinete e conselheiro de Gore quando o vencedor do Prêmio Nobel da Paz atuou como vice de Bill Clinton.

Assim como Obama, Klain também é formado em Direito pela Universidade de Harvard e escreveu na prestigiosa publicação The Harvard Law Review.

Sua escolha significa mais uma camada de experiência para a Casa Branca de Obama.

David Axelrod - Conselheiro sênior

David Axelrod, de 53 anos, um importante auxiliar e um dos amigos mais próximos de Obama, vai ocupar o cargo de conselheiro sênior da Casa Branca.

Axelrod, que foi estrategista de Obama durante a campanha e tem sido conselheiro político de vários democratas, teve sua atuação classificada como fundamental para a confortável vitória de Obama sobre o rival republicano Johm McCain nas eleições de 4 de novembro.

Sob a batuta de Axelrod, Obama assumiu a imagem da transformação e da renovação, do líder incisivo capaz, no entanto, de manter a calma nos momentos difíceis.

Assessor democrata de longa data, Axelrod cavou o próprio nicho no setor: ficou conhecido por ajudar candidatos negros a se apresentarem para o eleitorado branco.

Valerie Jarrett - Conselheira sênior

A advogada Valerie Jarrett será a assessora principal de Barack Obama na Casa Branca. Jarrett, uma das amigas mais próximas de Obama nos últimos anos, também desempenhará o cargo de auxiliar do presidente eleito para relações intergovernamentais.

Antes de fazer parte da equipe do presidente eleito, Jarrett foi diretora-executiva da empresa imobiliária Habitat Co., em Chicago.

O cargo de assessor principal é um dos mais importantes na Casa Branca. Durante o governo do presidente George W. Bush esteve nas mãos de Karl Rove.

James Jones - assessor de segurança

O general reformado James Jones, ex-comandante da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan), será o conselheiro de segurança da Casa Branca.

Jones, de 64 anos, levará à Casa Branca uma ampla experiência em assuntos de segurança. Além de ser comandante da Otan, foi enviado especial para assuntos de segurança e foi presidente de uma Comissão Independente sobre as Forças de Segurança no Iraque, um grupo designado pelo Congresso para avaliar a preparação das tropas iraquianas.

Desde que se retirou do Corpo de Infantes da Marinha no ano passado, trabalhou em assuntos de energia como diretor-executivo do Instituto da Câmara de Comércio dos Estados Unidos.

Susan Rice - embaixadora dos EUA na ONU

Susan Rice, conselheira de Obama para assuntos de segurança nacional, será a embaixadora dos Estados Unidos na Organização das Nações Unidas (ONU).

Rice, de 44 anos, é ex-membro do governo Clinton e não tem parentesco com a atual titular do departamento de Estado, Condoleezza Rice.

Susan Rice foi membro do Conselho Nacional de Segurança e foi sub-secretária de Estado norte-americana para os Assuntos Africanos durante a administração de Bill Cinton.

Equipe econômica

Peter Orszag - diretor de Orçamento

O economista Peter Orszag, 39 anos, atual diretor do departamento do orçamento do Congresso americano (CBO), foi designado diretor do Orçamento na Casa Branca no futuro governo Barack Obama.

Peter Orszag sucederá a Jim Nussle e será assistido nesta tarefa por Rob Nabors.

A missão do departamento do Orçamento da Casa Branca é ajudar o presidente na gestão do orçamento dos Estados Unidos e supervisionar sua administração nas agências governamentais ligadas ao Poder Executivo. Portanto, Orszag terá que avaliar as despesas do futuro governo e sugerir, se for necessário, eventuais cortes orçamentários.

Lawrence Summers - Conselho Econômico Nacional

O ex-Secretário do Tesouro no governo de Bill Clinton Lawrence Summers foi confirmado como diretor do Conselho Econômico Nacional.

Lawrence Summers foi secretário do Tesouro no governo de Bill Clinton, período em que foi muito elogiado por Wall Street, e reitor da Universidade de Harvard, onde se envolveu em diversas polêmicas.

Summers é um dos conselheiros econômicos de Obama, especialmente após a explosão da crise financeira , em setembro. Ganhou experiência como "bombeiro financeiro" na década de 90, quando enfrentou as crises do México, da Rússia e da Ásia.

Christina Romer - Conselho de Assessores Econômicos

Christina Romer, de 50 anos, professora da Universidade da Califórnia, será a diretora do Conselho de Assessores Econômicos da administração democrata.

Seus trabalhos recentes têm como foco o impacto da política de impostos no crescimento da economia.

Romer é ex-vice-presidente da Associação de Economia da América e venceu o prêmio Berkeley de educaçãp. Ela é co-diretora do Programa de Economia Monetária, no Bureau Nacional de Pesquisa Econômica.

O conselho é o órgão responsável por compilar dados relativos à economia do país.

Leia mais sobre Barack Obama

    Leia tudo sobre: obama

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG