Congresso pede as primeiras desculpas pela escravidão nos EUA

Os parlamentares americanos pediram na noite de terça-feira, pela primeira vez em sua história, desculpas em nome do governo federal pela fundamental injustiça, crueldade, brutalidade e desumanidade da escravidão e segregação racial em relação aos negros americanos.

AFP |

O texto, adotado pela Câmara de Representantes, "apresenta desculpas aos negros americnaos em nome do povo dos Estados Unidos pelo mal que lhes foi infligido" sob as leis de segregação conhecidas como "Leis Jim Crow" e "por seus ancestrais que sofreram a escravidão".

Os parlamentares também indicaram que se comprometem em agir para corrigir "as conseqüências persistentes" da escravidão e segregação.

O democrata Steve Cohen, autor do texto, comemorou sua aprovação. "É um momento histórico na luta pelos direitos civis neste país e espero que esta norma possa servir para iniciar o diálogo sobre as questões raciais e a igualdade para todos", indicou em um comunicado.

"As desculpas não são gestos vãos e sim uma primeira etapa necessária para toda a reconciliação entre os povos", disse Cohen, representante do Tennessee.

A escravidão foi abolida oficialmente nos Estados Unidos em 1865. O ex-presidente Bill Clinton chegou a expressar que lamentava o papel dos Estados Unidos no tratamento dos escravos e o atual presidente George W. Bush classificou a escravidão como "um dos maiores crimes da história", mas até agora não havia sido registrado um arrependimento oficial.

As "Leis Jim Crow" foram formalmente abolidas em 1964 pela lei sobre os direitos civis, a chamada "Civil Rights Act", que proíbe qualquer forma de discriminação em lugares públicos.

mac/aic/cn

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG