Congresso hondurenho pede fim de estado de exceção

TEGUCIGALPA - O presidente do Congresso hondurenho, José Alfredo Saavedra, pediu nesta segunda-feira a anulação de um decreto que desde o fim de semana suspende várias garantias constitucionais no país.

Redação com EFE |

O presidente do regime golpista, Roberto Micheletti, assegurou que fará consultas para tomar uma decisão a respeito.

"Vou consultar a Suprema Corte de Justiça, o Tribunal Supremo Eleitoral, inclusive, se houver possibilidade de falar com os candidatos presidenciais (...) e assim tomar a decisão mais conveniente aos interesses de nossa pátria que (...) será derrogar esse decreto no momento mais oportuno", afirmou Micheletti.

"No término desta semana estaremos dando solução para isso", acrescentou Micheletti, ao assegurar que aceitava a proposta do Parlamento para favorecer o diálogo.

O Governo publicou no sábado um decreto em suspende durante 45 dias as liberdades de circulação e expressão, e proíbe as reuniões públicas, entre outras medidas.

Michelleti lembrou que o decreto deverá ser derrogado, em todo caso, em um Conselho de Ministros, da mesma forma como foi aprovado.

Saavedra indicou que foi feita "uma solicitação respeitosa (...) no sentido de analisar a possibilidade de deixar sem valor e efeito o decreto executivo".

"Tudo com o propósito de contribuir, aproveitar esta oportunidade para propiciar o diálogo na sociedade hondurenha", acrescentou.

Leia também:


Leia mais sobre Honduras



    Leia tudo sobre: hondurasmanuel zelayaroberto micheletti

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG