Congresso dos EUA aprova orçamento para 2010

A Câmara de Representantes e o Senado dos Estados Unidos aprovaram na noite quinta-feira o projeto de orçamento apresentado pelo governo de Barack Obama, de mais de 3,5 trilhões de dólares.

AFP |

Primeiro, os representantes votaram por 233 votos contra 196. Horas mais tarde o Senado aprovou o orçamento em uma resolução similar por 55 votos contra 43.

Nenhuma republicano, tanto na Câmara como no Senado, votou a favor da proposta.

Agora as duas Casas devem conciliar os dois projetos.

Representantes e senadores votaram por um montante pouco inferior ao orçamento proposto por Obama em fevereiro, que era de mais de 3,6 trilhões de dólares.

O orçamento de 2010 foi dividido para funcionar como um plano de gastos para combater a crise e recuperar a economia americana.

As três prioridades do orçamento de Obama são a educação, a independência energética e o sistema público de saúde.

O projeto, alinhado às promessas de campanha de Obama, também prevê reduções de impostos para 95% dos americanos.

O governo de Obama e os democratas da Câmara pretendem reduzir o déficit público à metade até 2013.

Segundo a Comissão de Orçamento do Congresso, o déficit será de 1,84 trilhão de dólares para o exercício 2009-2010, o equivalente a 13,1% do PIB americano.

"Este é um dia particular para nós. É um dia pelo qual esperamos há muito tempo, pelo qual trabalhamos (...) para adotar um orçamento que reflete realmente nossos valores nacionais", disse a presidente democrata da Câmara de Representantes, Nancy Pelosi.

Vários republicanos e alguns democratas criticaram o orçamento, afirmado que ele vai agravar o déficit público.

Uma contraproposta republicana, que reduziria a despesa em 4,8 trilhões de dólares em 10 anos, foi rejeitada.

Os orçamentos dos Estados Unidos servem como declarações de gastos e prioridades de impositos, que formam um guia não vinculante para que os comitês orçamentários do Congresso decidam depois sobre os gastos do governo.

Em Londres, onde participou da reunião do G20, Barack Obama disse que o voto dos representantes foi "outro passo à frente na reconstrução de nossa debilitada economia".

"Esta resolução sobre o orçamento acolhe nossas mais fundamentais prioridades: um plano de energia que acabará com nossa dependência ao petróleo estrangeiro e promoverá uma nova economia de energia limpa; um sistema de educação que garantirá que nossos filhos sejam capazes de competir na economia do século XXI, e uma reforma da saúde que, finalmente, enfrentará os custos exagerados", destacou Obama.

"Com este voto vêm a obrigação de prosseguir com nossos esforços e de revisar, linha por linha (o orçamento), para obter economias adicionais", disse o presidente.

emp/ap/LR/fp

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG