A Câmara de Representantes do Congresso colombiano se declarou em sessão permanente, que prosseguirá nesta quarta-feira, para o último debate da convocação de um referendo cujo resultado pode permitir ao presidente Alvaro Uribe concorrer ao terceiro mandato.

Após a meia-noite de terça-feira para quarta-feira, depois de mais de oito horas de discussão, o presidente da Câmara, Egdar Gómez, decidiu declarar a sessão permanente, ante um debate bloqueado pela oposição, que denunciou subornos aos congressistas por parte do governo em troca de apoio.

O debate se prolongou depois que 92 dos 165 representantes da Câmara se declararam impedidos para votar por um conflito de interesses, provocado por um processo judicial contra eles na Suprema Corte de Justiça e que os inabilitaria a se pronunciar sobre o tema da reeleição.

"Esperamos que hoje se supere o tema dos impedimentos e possamos realizar a votação, mas como estão as coisas não podemos garantir que a votação acontecerá nesta quarta-feira", afirmou Gómez à imprensa.

Uribe, um advogado de direita que foi eleito por ampla margem para a presidência em 2002, conseguiu modificar no Congresso a Constituição em 2006 para abrir passagem a uma primeira reeleição. Atualmente tem um índice de aprovação de 68% nas pesquisas.

O plano de convocar o referendo, que deve acontecer ainda este ano, é afetado por denúncias de irregularidades desde que teve início em meados de 2008 com a coleta de quase cinco milhões de assinaturas promovida pelo 'Partido de la U' (Social da Unidade Nacional, centro-direita), um dos seis que integram a coalizão que respalda Uribe.

sab/fp

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.