Congresso de Honduras adia decisão sobre Zelaya

Por Marco Aquino e Esteban Israel TEGUCIGALPA (Reuters) - O Congresso de Honduras adiou na segunda-feira sua decisão a respeito de uma anistia política para o presidente deposto Manuel Zelaya, uma proposta do mediador Oscar Arias para superar a crise desencadeada pelo golpe militar de 28 de junho.

Reuters |

Os deputados nomearam uma comissão especial que decidirá nesta semana sobre o perdão a Zelaya, acusado de violar a Constituição ao realizar manobras que permitissem sua reeleição.

"O Congresso deve remeter essa opinião no prazo que vence na quinta-feira", afirmou o presidente do Congresso, José Saavedra.

Um mês depois do golpe, crescem no Congresso os sinais de que a proposta de Arias, presidente da Costa Rica, será rejeitada pelos deputados.

Mas a restituição de Zelaya como presidente, item central da proposta de Arias, cabe à Corte Suprema, que ainda não se pronunciou.

"Enquanto eles (Congresso) não aceitarem (a proposta de Arias), estão perdendo tempo", disse Zelaya a jornalistas na localidade nicaraguense de Ocotal, perto da fronteira com Honduras.

Os EUA insistiram na segunda-feira que Zelaya deve voltar ao poder, mas o desaconselharam a regressar a Honduras antes que seja superada a crise, a pior dos últimos 20 anos na América Central.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG