Congresso boliviano aprova lei eleitoral e Morales encerra greve

LA PAZ - O Congresso da Bolívia aprovou na madrugada desta terça-feira a nova lei eleitoral que vai reger as eleições gerais de dezembro, o que fez o presidente Evo Morales encerrar a greve de fome de seis dias para promulgar o texto.

AFP |

O novo regime eleitoral, que contém 75 artigos e oito dispositivos transitórios, foi aprovado depois de nove horas de debate no Congresso bicameral e após cinco dias de intensas negociações em uma comissão com parlamentares do governo e da oposição.

Os senadores e deputados votaram os 83 artigos em todos os turnos e agora cabe ao presidente Morales promulgar a nova lei, que inclui a elaboração de um novo padrão biométrico, acordo que viabilizou a aprovação da lei.

Também possibilitou a Morales acabar com a greve de fome de seis dias. "Neste momento suspendemos a greve de fome", anunciou Pedro Montes, secretário executivo da Central Operária Boliviana (COB), na presença de Morales, antes de ordenar a 2.000 pessoas que também seguiam o movimento a encerrar a greve.

"O povo nunca deve esquecer os processos revolucionários à cabeça das forças sociais", disse Morales, ao comentar as passeatas, cerco ao Congresso e as greves que permitiram aos movimentos sociais alcançar seus objetivos.

"Com o povo consciente, com a força do povo é possível obrigar estes pequenos grupos que permanentemente prejudicam no Congresso nacional", disse.

Morales anunciou que promulgará ainda nesta terça-feira a nova lei eleitoral, que permitirá sua candidatura em dezembro a um novo mandato de cinco anos.

Morales encerra greve de fome; assista ao vídeo

Leia mais sobre Bolívia

    Leia tudo sobre: bolívia

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG