Congressistas decidem criar grupo de trabalho para Parlamento da Unasul

Cochabamba (Bolívia), 17 out (EFE).- Congressistas da União de Nações Sul-Americanas (Unasul) decidiram hoje, na cidade boliviana de Cochabamba, constituir um grupo de trabalho que ficará responsável por definir a criação do futuro Parlamento deste organismo.

EFE |

O grupo será formado por dois legisladores de cada Estado-membro e delegações dos Parlamentos Andino e do Mercosul, enquanto o Parlamento Amazônico, o Parlamento Indígena e o Parlamento Latino-americano (Parlatino) contarão com um delegado cada, segundo uma declaração lida pelo vice-presidente da Bolívia, Álvaro García Linera.

Esta comissão deverá começar a trabalhar em um prazo não superior a 90 dias em uma agenda sobre a composição, competências e propostas de funcionamento do novo Parlamento Sul-Americano.

Entretanto, antes os Estados e entidades regionais que participarão deste processo deverão nomear seus representantes neste grupo de trabalho em um prazo máximo de 45 dias.

Nesta declaração, os legisladores das 12 nações que fazem parte da Unasul mais os representantes dos Parlamentos do Mercosul, Andino, Amazônico, Indígena e o Parlatino reafirmaram seu compromisso com a integração e concordaram na necessidade de avançarem na criação de uma entidade legislativa sul-americana.

O grupo responsável por definir como será o Parlamento da Unasul desenvolverá seus trabalhos em Cochabamba.

Justamente a cerca de 40 quilômetros desta cidade está previsto que se construa a Câmara legislativa sul-americana.

García Linera, o anfitrião do encontro, chamou de "êxito" este encontro, apesar de no debate realizado durante a manhã terem ficado evidentes várias divergências e dissensos sobre diversos aspectos do projeto para que a Unasul tenha um Parlamento.

De fato, o grupo de trabalho deverá definir aspectos complicados como a composição da Câmara, como serão eleitos seus representantes ou que competências terão.

Os presidentes do Chile, Michelle Bachelet, e da Bolívia, Evo Morales, colocaram a "pedra fundamental" do futuro Parlamento da Unasul, que ficará em uma área rural do departamento (estado) boliviano de Cochabamba.

Após o início do encontro de parlamentares da Unasul realizado em Cochabamba, os dois líderes presidiram uma breve cerimônia de colocação da simbólica "pedra fundamental" em San Benito.

A presidente chilena felicitou a Morales por ter escolhido instalar o Parlamento no campo, e afirmou que também deseja que a "América do Sul seja uma pátria integrada por todos".

"Queremos que a América do Sul represente cada um de seus filhos", declarou o governante pouco antes de seguir para outra região da mesma localidade na qual Morales tinha previsto celebrar um ato político para cerca de mil simpatizantes. EFE sam/fal

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG