Gabrielle Giffords presta homenagem às vítimas de ataque a tiros em Tucson, no Arizona, que deixou seis mortos

A congressista democrata Gabrielle Giffords participou neste domingo de uma vigília na Universidade do Arizona, em Tucson, que marcou um ano de um ataque a tiros que deixou seis mortos. Gabrielle, que ficou gravemente ferida no ataque, após ser baleada na cabeça, ainda tem dificuldade para andar e falar.

Leia também: Um ano após ser baleada, congressista cogita tentar reeleição nos EUA

Gabrielle Giffords participa de vigília um ano após ser baleada
Reuters
Gabrielle Giffords participa de vigília um ano após ser baleada

A congressista participou da homenagem às vítimas ao lado do marido, o astronauta aposentado Mark Kelly, e de centenas de pessoas que foram à Universidade de Tucson para a cerimônia. Durante todo o dia, vários atos foram realizados na cidade, o primeiro deles às 10h11, horário em que o ataque começou.

Entre os presentes também estavam Peter Rhee, chefe da equipe médica que tratou Gabrielle e os demais feridos, Daniel Hernández, jovem hispânico que prestou os primeiros socorros à congressista, além de familiares e amigos das vítimas. Entre os mortos no ataque estava a menina Christina Taylor Green, que tinha 9 anos e nascera em 11 de Setembro de 2001.

O ataque aconteceu quando a congressista participava de um encontro informal com cidadãos em frente a de um supermercado. Um jovem armado, posteriormente identificado como Jared Loughner, disparou contra Gabrielle e um grupo de pessoas que participavam do evento. O tiro atravessou o hemisfério esquerdo do cérebro da congressista, área que abriga a parte motriz e a fala.

Além de Christina Taylor Green, foram assassinados o assistente de Gabrielle Gabe Zimmerman, de 30 anos, o juiz federal John Roll, de 63 anos, Dorwan Stoddard, um ex-empregado da construção de 76 anos, Phyllis Scheneck, uma dona de casa de 79 anos, e Dorothy Morris, de 76 anos.

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, expressou sua solidariedade à congressista Gabrielle em um telefonema no qual ressaltou sua coragem e determinação durante seu "incrível" processo de recuperação, que considerou um exemplo para todos os americanos.

Com EFE

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.