Congregação para a Doutrina da Fé rejeita interpretações subjetivas da Bíblia

Cidade do Vaticano, 6 out (EFE).- O cardeal William Joseph Levada, prefeito da Congregação para a Doutrina da Fé (ex-Santo Ofício), rejeitou hoje qualquer interpretação subjetiva, puramente experimental ou fruto de uma análise unilateral da Bíblia.

EFE |

O guarda da ortodoxia católica afirmou isto na abertura do Sínodo de Bispos, reunido entre hoje e o dia 26 de outubro no Vaticano para refletir sobre o tema "A Palavra de Deus na vida e na missão da Igreja".

Levada afirmou que apenas a viva tradição da Igreja permite que a Sagrada Escritura seja compreendida como autêntica Palavra de Deus, que serve de guia, norma e regra para a vida da Igreja e o crescimento espiritual dos crentes.

"Isto representa a rejeição de qualquer interpretação subjetiva ou puramente experimental ou fruto de uma análise unilateral, incapaz de acolher em si o sentido global que ao longo dos séculos guiou a Tradição do povo de Deus", afirmou o sucessor do atual papa à frente da Congregação para a Doutrina da Fé.

O cardeal americano disse que a Palavra de Deus, que é destinada a todos os crentes, requer uma especial veneração e obediência "para que seja recebida como uma urgente ligação à plena comunhão entre os fiéis".

O cardeal acrescentou que o Concílio Vaticano II "incumbe" os prelados a instruírem oportunamente os fiéis a eles confiados "para usarem corretamente os livros sagrados".

Ele acrescentou que o Sínodo de Bispos é a instituição "qualificada" para promover a verdade e a unidade do diálogo pastoral "dentro do Corpo místico de Cristo". EFE jl/fal

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG