Confrontos no Sri Lanka matam 74, a maioria rebeldes

COLOMBO - Tropas do Sri Lanka continuaram a ofensiva contra os rebeldes tigres tâmeis em dois dias de conflitos no norte do país que já mataram 66 rebeldes e oito soldados, disseram os militares no sábado. Os combates no distrito de Jafna, Vavuiya Polonnaruwa, Mannar e Mullaitivu começaram três dias após o governo ter descartado uma declaração dos Tigres de Libertação do Eelam Tâmil (LTTE, na sigla em inglês) de um cessar-fogo unilateral entre 26 de julho e 4 de agosto.

Reuters |

"Nossas ofensivas vão continuar, as tropas mataram 66 terroristas da LTTE nos combates de quinta e sexta-feira", disse o porta-voz do Exército, Brigadeiro Udaya Nanayakkara.

"Oito soldados morreram e 11 foram feridos nas batalhas", acrescentou.

Os tigres não foram encontrados para comentar.

O governo do Sri Lanka segue a estratégia de retomar gradualmente o reduto dos Tigres no norte e vencer a guerra civil de 25 anos com ataques quase diários por terra, ar e mar a territórios dominados pelos rebeldes.

Os últimos combates ocorreram uma semana após o Exército dizer que havia dado um "golpe fatal" nos rebeldes com a retomada da cidade de Vidattaltivu, no noroeste, a principal base dos tigres.

O pacto de cessar-fogo, apoiado pela Noruega, entre o Sri Lanka e os rebeldes em 2002 terminou formalmente em janeiro após o governo decidir descartá-lo, alegando que os guerrilheiros o usavam para ganhar tempo e rearmar suas tropas.

A guerra civil já matou mais de 70 mil pessoas. Os tigres lutam desde 1983 por um Estado independente no norte e leste do Sri Lanka para a minoria tâmil.

    Leia tudo sobre: sri lanka

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG