Lima, 5 jun (EFE).- Pelo menos 25 indígenas e nove policiais morreram hoje devido aos confrontos registrados durante o desbloqueio de uma estrada na Amazônia peruana após um protesto contra uma série de decretos legislativos, segundo um novo balanço oficial.

A ministra do Interior peruano, Mercedes Cabanillas, informou à "Rádio Programas del Perú (RPP)" que o número de policiais mortos subiu para nove, enquanto que o Colégio Médico de Chachapoyas, na região dos confrontos, afirmou que o número de indígenas falecidos chegou a 25.

O diretor da Polícia peruana, José Sánchez, declarou ao "Canal N" que também há 45 soldados feridos, dos quais 19 têm marcas de bala.

Segundo Sánchez, os policiais mortos foram atacados em uma colina no começo da manhã por mil indígenas, que os cercaram, balearam e os jogadores em um barranco.

A ministra informou que dois aviões da Força Aérea Peruana foram enviados à cidade de Bagua para levar remédios e equipamentos médicos, além de reforços policiais.

O presidente da Junta de Procuradores local, Oswaldo Bautista, disse à Agência Efe que o órgão ainda não estabeleceu um número definitivo de mortos porque ainda está sendo feito o levantamento do número de cadáveres em três pontos diferentes da região.

Por outro lado, uma fonte do hospital Gustavo Lanatta, em Bagua Niña, informou à Efe que a instituição recebeu 42 feridos, 15 deles baleado, e três mortos, entre os quais há um policial e dois civis.

Essa fonte médica explicou que os outros mortos, que calculou "entre 20 e 25", continuam na estrada onde os confrontos ocorreram porque a Procuradoria ainda não tinha conseguido chegar ao local.

EFE mmr/bba

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.