Confrontos matam dois soldados israelenses e dois militantes palestinos

Dois soldados israelenses e dois militantes palestinos morreram nesta sexta-feira durante confrontos próximo à região sul da Faixa de Gaza. Outros dois israelenses ficaram feridos.

iG São Paulo |

Reuters
Soldado israelense ferido é levado a hospital em Beersheba, sul do país
Soldado israelense ferido é levado a hospital em Beersheba, sul do país

Os confrontos aconteceram próximo à cidade de Khan Yunis, depois que militantes do Hamas em Gaza tentaram capturar um soldado israelense. De acordo com fontes palestinas, as forças de Israel responderam com disparos de tanque e tiros de metralhadora.

A versão dada por uma porta-voz das Forças Armadas israelenses é a de que os soldados foram emboscados e mortos quando tentavam desarmar uma mina terrestre dentro de Gaza.

O Hamas assumiu a responsabilidade pela morte dos isralenses, mas disse ter sido um ataque em defesa de Gaza. Falando à TV por satélite Al Quds, que transmite a partir do Líbano, o porta-voz do Hamas, Abu Ubaydah, disse que os soldados israelenses pretendiam encurralar os palestinos na proximidade do campo de refugiados de Khan Yunis quando foram surpreendidos por uma divisão de atiradores do Hamas.

"Os atiradores dispararam usando armas médias e pesadas. Minutos depois o inimigo estava em estado de confusão e se retirou da área. Pouco depois, o inimigo anunciou a morte de dois de seus soldados", disse ele.

Esta foi a primeira vez que soldados israelenses são mortos por palestinos desde a ofensiva de Israel em Gaza, entre o final de 2008 e o início de 2009.

Novas construções

A tensão entre israelenses e palestinos aumentou com os recentes anúncios de que Israel pretende ampliar a presença judaica em Jerusalém Oriental.

Nesta quarta-feira, Elisha Peleg, integrante do conselho municipal de Jerusalém e da comissão de planejamento da cidade, disse que 20 unidades foram aprovadas para o bairro de Sheikh Jarrah , do qual palestinos foram expulsos no ano passado, em Jerusalém Oriental.

Falando à Rádio do Exército, Peleg disse que o plano está sendo preparado há meses e a medida era somente um "passo técnico" para a aprovação de 100 casas. "Vamos continuar construindo em toda Jerusalém, em Sheikh Jarrah e Ras al-Amud também", disse ele, citando outro bairro palestino na região de Jerusalém.

Há duas semanas, Israel já havia anunciado  novas construções nos arredores de Jerusalém Oriental . Na época, Netanyahu lamentou que o anúncio tenha coincidido com uma visita a Israel do vice-presidente dos EUA, Joe Biden, o que a secretária de Estado dos EUA, chegou a caracterizar como "um insulto".

Mas na segunda-feira o premiê de Israel insistiu, diante de uma plateia de influentes judeus americanos, que "Jerusalém é a nossa capital" e Israel vai continuar construindo onde achar que deve na cidade.

Com BBC

Leia também: 

Leia mais sobre Oriente Médio

    Leia tudo sobre: israel

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG