Confrontos matam 52 civis na capital da Somália

Grupo local de direitos humanos afirma que violência entre rebeldes do Al Shabab e forças do governo aumentou

Reuters |

Confrontos entre rebeldes da Al Shabab e forças do governo no norte da capital da Somália mataram ao menos 52 civis e deixaram muitos feridos nessa última semana, disse um grupo local de direitos humanos nesta terça-feira.

© AP
Médico faz curativo em homem ferido em confrontos na Somália
A violência em Mogadíscio aumentou desde que homens-bomba da Al Shabab mataram 74 pessoas que assistiam à final da Copa do Mundo na capital de Uganda, e os inflamados conflitos devem ser um assunto importante da cúpula da União Africana (UA) em Campala na próxima semana.

Tropas de Uganda e Burundi compõem os 6.300 soldados da força da UA que protegem os principais locais de Mogadíscio, e há pedidos para ampliar o mandato para que possam continuar a ofensiva contra os insurgentes ligados à Al Qaeda.

"É um confronto interminável entre forças do governo e a Al Shabaab no norte de Mogadíscio", disse à Reuters Ali Yasin Gedi, vice-presidente do grupo somali de direitos humanos Elman. "Ao menos 52 pessoas morreram e 129 ficaram feridas nos confrontos dessa semana".

A Al Shabab e outra milícia islâmica estão em confronto com o governo somali, apoiado pelo Ocidente, desde o início de 2007. Eles controlam grande parte da capital, mas não conseguiram até agora depor o presidente Sheikh Sharif Ahmed.

A força da UA, conhecida como Amisom, foi ampliada em momentos importantes para proteger o palácio presidencial, e Uganda disse na semana passada que está pronta para enviar mais 2 mil tropas para ajudar no combate aos rebeldes.

Reuters
Centenas de pesosas fugiram da capital da Somália com a intensificação dos confrontos

    Leia tudo sobre: UgandaSomáliaÁfricaAl-QaedaAl Shabab

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG