Confrontos entre soldados e rebeldes xiitas deixam 50 mortos no Iêmen

Violentos enfrentamentos entre o exército e os rebeldes xiitas no norte do Iêmen deixaram pelo menos 50 mortos em dois dias, informaram nesta quinta-feira fontes militares e tribais.

AFP |

Vinte e um rebeldes e quatro militares, entre eles um coronel, morreram nos combates, que começaram na noite de quarta-feira na região de Harf Sufyan, na província de Omran, segundo fontes militares e chefes de tribos contactados por telefone pela AFP.

De acordo com testemunhas, a Força Aérea interveio diversas vezes para auxiliar as forças no solo perto de Harf Sufyan, mas também em setores da província de Saada, feudo dos rebeldes.

Helicópteros militares bombardearam posições perto de Samaa, na periferia sul de Saada, que os rebeldes tentavam tomar das forças militares para poder sitiar a cidade.

Em Dammaj, no sudeste de Saada, 23 membros da rebelião zaidita xiita morreram em combates travados contra militantes de um grupo salafista (sunita) apoiado por membros de tribos armados, informaram nesta quinta-feiira à AFP fontes tribais e testemunhas.

No extremo norte da província de Saada, nas aldeias de Baqem e Munabbeh, na fronteira com a Arábia Saudita, a polícia se uniu a membros de tribos para atacar reveldes xiitas acusados de terem matado o subdelegado de Baqem e um chefe tribal, segundo as fontes.

Dois chefes rebeldes, identificados como Farhan Maqit e Hassen Thawrat, morreram no confronto. Tharwat já exerceu no passado o papel de representante dos rebeldes nas negociações de paz com as autordades, destacaram as mesmas fontes.

Os combates entre o exército iemenita e os rebeldes zaiditas xiitas começaram no dia 11 de agosto. O governo do Iêmen acusa os insurgentes de contarem com o apoio de grupos no Irã, o que eles desmentem.

mou/yw

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG