Confrontos entre militares e supostos talebans matam 15 no Paquistão

Islamabad - Pelo menos 15 supostos insurgentes e dois membros das forças de segurança morreram nas últimas 24 horas na demarcação tribal do Waziristão do Sul, principal reduto dos talebans paquistaneses, onde o Exército desenvolve uma ofensiva contra os extremistas, informou nesta segunda-feira o comando militar.

EFE |

Na zona de Jandola, um grupo de homens armados atacou ontem à noite um posto de controle das forças de segurança, que responderam matando 15 deles, segundo um comunicado.

De acordo com a versão militar, entre os mortos, há um líder insurgente identificado como Zainual.

Durante os confrontos, que aconteceram no posto de Boya Narai, dois membros das forças de segurança morreram e três ficaram feridos.

Enquanto isso, as tropas apreenderam armas e munição em várias operações de rastreamento nas zonas de Shakai e Razmak.

No Vale de Swat, onde o Exército combate os talebans desde o final de abril, três supostos terroristas se entregaram voluntariamente às tropas nas zonas de Roringar e Devolai.

Além disso, os militares recuperaram armas e munição em Mingora.

Na demarcação de Orakzai, a única do cinturão tribal paquistanês que não faz fronteira com o Afeganistão, nove membros de tribos e seis insurgentes morreram em choques entre clãs rivais.

Segundo o canal privado "Dawn TV", que cita uma fonte não identificada, os combates explodiram depois que os insurgentes tentaram ocupar a casa de um líder tribal na zona de Cham Channa.

Além das ofensivas no Waziristão do Sul e em Swat, o Exército do Paquistão lança operações pontuais em várias áreas do conflituoso cinturão tribal.

O presidente do Paquistão, Asif Ali Zardari, defendeu ontem continuar a luta contra a insurgência para evitar que o país se transforme em "outro Iraque, Afeganistão ou Somália".

Leia mais sobre: Paquistão

    Leia tudo sobre: paquistão

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG