Cairo, 21 jun (EFE).- Quinze pessoas foram detidas hoje após confrontos protagonizados por cristãos e muçulmanos após uma família copta destruir três lojas de seguidores do Islã em Fayum, 150 quilômetros ao sul do Cairo, informa a Polícia.

As fontes disseram à Agência Efe que os agressores, de credo cristão, são os pais de uma jovem muçulmana casada há dois anos com um homem muçulmano.

Segundo as fontes, os pais da menina decidiram atacar as lojas muçulmanas em resposta às acusações da família de seu genro de que tinham seqüestrado o casal, em paradeiro desconhecido há vários dias.

A destruição das lojas, na localidade de Nazla, levou a confrontos entre fiéis de ambas as religiões, que tiveram como saldo detenções, em sua maioria de muçulmanos, e cinco pessoas feridas.

Quanto ao casal desaparecido, foi descoberto depois que estavam viajando, dizem as fontes.

Após os incidentes, a Polícia impôs um toque de recolher no povoado.

Nas últimas semanas, foram registrados vários incidentes entre muçulmanos e cristãos como o ataque a um mosteiro, o incêndio de duas igrejas e o ataque a duas joalherias de coptas, episódios que deixaram um saldo de cinco mortos.

A comunidade copta representa aproximadamente 10% dos quase 76 milhões de habitantes no Egito e é considerada a maior minoria cristã do Oriente Médio. EFE hh/fal

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.