Confrontos deixam 17 mortos em fim de semana de eleições

Oficiais e rebeldes morreram em enfrentamentos durante a votação para presidente

EFE |

Onze oficiais e seis rebeldes foram mortos durante confrontos entre as forças públicas e grupos ilegais durante o fim de semana em diversas regiões da Colômbia, que neste domingo realizou o segundo turno das eleições presidenciais. Na ocorrência mais grave, sete policiais morreram em uma emboscada com explosivos na zona rural do departamento de Norte de Santander (fronteira com a Venezuela), revelaram porta-vozes civis.

"Temos um fato muito lamentável: o ataque a uma patrulha da polícia com explosivos que deixou sete policiais mortos", disse a jornalistas Margarita Silva, secretária de Governo do departamento.

De acordo com um relatório divulgado pelos ministros da Defesa, Gabriel Silva, e do Interior e de Justiça, Fabio Valencia, três militares morreram em enfrentamentos entre a Polícia e guerrilheiros. Dois deles morreram no departamento de Meta e um no de Antioquia.

Em distintas regiões do Norte de Santander, as forças de segurança desativaram artefatos explosivos, enquanto guerrilheiros queimaram material eleitoral e torturaram inocentes, segundo o comandante policial do território.

Em outros departamentos do noroeste, sudoeste e sul, alguns locais de votação não puderam abrir porque seus júris tinham sido, aparentemente, ameaçados pelos guerrilheiros.

Depois da campanha eleitoral mais pacífica das últimas décadas, o Governo desdobrou mais de 350 mil policiais e militares para garantir a segurança em todo o território.

* Com informações da EFE e da AFP

    Leia tudo sobre: Colômbiaeleições

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG