TRÍPOLI, Líbano (Reuters) - Pelo menos seis pessoas morreram e cerca de 50 ficaram feridas na sexta-feira em um confronto sectário entre muçulmanos em Trípoli, no norte do Líbano, segundo fontes médicas. Os milicianos sunitas do bairro de Bab Tibbaneh e os alauítas do bairro de Jabal Mohsen usaram metralhadoras e granadas no combate, obrigando os moradores a fugirem.

Nos últimos dois meses, os confrontos sectários já mataram pelo menos 19 pessoas nesta cidade predominantemente sunita. A violência lança uma sombra sobre o recente acordo político destinado a reconciliar o governo, liderado por sunitas, com a oposição, especialmente o grupo xiita Hezbollah, que é aliado dos alauítas no norte.

Os grupos rivais formaram um governo de coalizão nacional em 11 de julho, mas ainda não conseguiram estabelecer uma pauta para o governo. A manutenção das armas em poder do Hezbollah é um dos principais pontos de discórdia.

A seita alauíta é uma pequena ramificação dos xiitas. Seus seguidores se concentram principalmente na Síria, cujo presidente, Bashar Al Assad, é alauíta. Eles são poucos no Líbano, mas ganharam alguma influência durante a ocupação militar síria, encerrada em 2005.

(Reportagem adicional de Laila Bassam)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.